*
 

Diante de um cenário indefinido para as eleições de outubro, votos pulverizados e 11 candidatos concorrendo a uma vaga de governador do Distrito Federal, os líderes nas pesquisas traçam estratégias para chegarem ao segundo turno. Nas agendas de campanha dessa terça-feira (18/9), os postulantes ao Palácio do Buriti comentaram o desempenho nos mais recentes levantamentos, fizeram promessas e conjecturaram sobre como atuarão após o resultado das urnas.

Com crescimento expressivo nas pesquisas, o candidato ao GDF pelo MDB, Ibaneis Rocha, projeta uma possível disputa com Eliana Pedrosa (Pros). Do início da campanha até o momento, o aspirante ao GDF passou de 3% para 9%, uma ascensão de 6 pontos percentuais de acordo com levantamento do Ibope, encomendado pela TV Globo.

Em caminhada no comércio da avenida central do Riacho Fundo I, Ibaneis Rocha comentou os dados. “Os projetos de todos os outros candidatos, inclusive o dela, são voltados para o passado. Então, quem quiser se aliar ao passado, fica com Eliana. Quem quiser olhar para o futuro, é comigo”, disse.

Líder isolada nos levantamentos de intenção de voto, a candidata do Pros, Eliana Pedrosa, afirmou não se preocupar sobre qual concorrente poderá enfrentar, caso passe para a próxima fase. “Quem entra numa disputa tem de estar preparado para qualquer adversário, não dá para escolher”, analisou.

Ela figura com 22% da preferência do eleitorado, à frente de Alberto Fraga (DEM), que tem 14%. Na sequência, Rodrigo Rollemberg (PSB) (11%) e Rogério Rosso (10%).

Encontro
Mesmo após demonstrar apatia pela estagnação em pontos percentuais no levantamento, Rosso encontrou com Ibaneis ao longo de sua caminhada pelo comércio da avenida central do Riacho Fundo I e comentou as possibilidades do segundo turno.

Ao se abraçarem, ambos brincaram: “Seremos nós dois, hein?”, disse Ibaneis. “Claro que seremos”, respondeu Rosso.

 

Sem preocupação
Enquanto se reunia com a comissão de servidores aposentados da Saúde, durante a tarde, Alberto Fraga se comprometeu a pagar as pecúnias atrasadas dos servidores e preferiu não comentar o segundo lugar no ranking. “Eu não me importo com essas pesquisas. Vou continuar fazendo o meu trabalho e levando as minhas propostas para o povo”, desconversou.

Resultado diferente
Mesmo com o resultado da pesquisa Ibope encomendada pela TV Globo e divulgada nessa segunda-feira (17), que apontou que o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) continua na liderança dos candidatos com maior rejeição (53%), o buritizável disse estar confiante. “Tenho acesso a outras pesquisas em que o resultado é diferente. Tenho muita convicção de que vamos para o segundo turno e alcançaremos a vitória”, apostou.

Rollemberg se reuniu com representantes do Sindicato do Professores (Sinpro-DF). O encontro durou menos de 10 minutos e contou com a participação de cerca de 30 pessoas no comitê do buritizável. Na ocasião, a categoria entregou ao socialista um documento com 140 pedidos.

Reuniões e caminhadas
A candidata do PSol, Fátima Sousa, se reuniu com lideranças da Associação dos Delegados de Polícia do Brasil (Adepol) e se comprometeu a equipar as delegacias e unidades de atendimento do DF, melhorar os salários dessas categorias e garantir melhores condições para o desempenho das funções prioritárias para a segurança pública.

Alexandre Guerra (Novo) caminhou pelo comércio e pela feira de Samambaia durante a manhã. Participou de sabatina com integrantes da construção civil e se reuniu com trabalhadores do setor de combustíveis.

A manhã de Julio Miragaya (PT) foi destinada à gravação de programa eleitoral. Ele encerrou a agenda em bate-papo organizado pelo Sindicato dos Enfermeiros. O general Paulo Chagas (PRP), Renan Rosa (PCO) e Antônio Guillen não divulgaram a agenda de campanha.