Conheça a biografia do candidato ao GDF Rodrigo Rollemberg

O atual governador do Distrito Federal vem de uma família de 14 irmãos e chegou a Brasília no início da década de 1960

Foto:
 

Filho de Teresa Sobral Rollemberg e do ex-ministro e ex-deputado federal Armando Leite Rollemberg, o atual governador do Distrito Federal vem de uma família de 14 irmãos e chegou a Brasília no início da década de 1960, ainda bebê. Ele é casado com Márcia Helena, tem três filhos e dois netos.

Aos 59 anos, Rodrigo Rollemberg termina seu mandato no Palácio do Buriti e se coloca na disputa para reeleição com apoio de Rede, PDT, PV e PCdoB.

Michael Melo/Metrópoles

Formado em história pela Universidade de Brasília (UnB), chegou a trabalhar como colaborador em Textos Políticos da História do Brasil de Roberto Amaral e Paulo Bonavides, um dos livros de referência histórica do país. Em 1994, foi deputado distrital pela primeira vez, após assumir como suplente e, quatro anos depois, elegeu-se titular.

Nas eleições de 2002, disputou o GDF, mas não venceu. No pleito seguinte, tornou-se deputado federal. Quatro anos depois, integrando uma chapa com o PT e Cristovam Buarque (à época no PDT, hoje no PPS), elegeu-se ao Senado. Em 2014, no entanto, abandonou o mandato de senador para disputar o Palácio do Buriti.

Rafaela Felicciano/Metrópoles

É filiado ao PSB desde 1985. Foi duas vezes deputado distrital (de 1995 a 1996 e de 1999 a 2002), secretário de Turismo (janeiro de 1996 a abril de 1998), secretário de Inclusão Social do Ministério de Ciência e Tecnologia ( de 2004 a 2006), deputado federal (de 2007 a 2010) e senador (de 2011 a 2014).

Em agosto, a Polícia Civil do DF deflagrou a Operação (12:26), que expôs um suposto esquema de tráfico de influência envolvendo a cúpula do Palácio do Buriti e um dos irmãos do governador, o advogado Carlos Augusto Rollemberg.

Alvo de interceptações telefônicas da Polícia Civil a partir de autorização judicial, o advogado Guto — como descrito nos autos do Inquérito nº 386/2018 — é caracterizado como “ponto focal” de diversas ingerências junto à administração pública e com alto poder de “motricidade” perante o governo, embora não exerça nenhum cargo no GDF

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Compartilhe