Conheça a biografia da candidata ao GDF Fátima Sousa

Filha de empregada doméstica e pai operário da construção civil, a postulante estudou em escolas públicas do sertão da Paraíba, onde nasceu

Foto:
 

A professora da Universidade de Brasília (UnB) Fátima Sousa, 57 anos, ingressou no PSol há um ano e meio. Ela foi uma das fundadoras do Partido dos Trabalhadores na Paraíba, na década de 1980, e seguiu os passos da deputada federal Luiza Erundina.

As duas decidiram sair do PT juntas. Após um tempo sem legenda, a buritizável decidiu migrar para a sigla quando a ex-correligionária, que havia ingressado no PSB, se filiou ao PSol.

Filha de empregada doméstica e pai operário da construção civil, Fátima tem três irmãos e estudou em escolas públicas de São José da Lagoa Tapada, no alto sertão da Paraíba, onde nasceu.

Foi alfabetizada aos 12 anos e chegou à Universidade Federal da Paraíba após concluir o ensino básico de normalista – antigo curso de habilitação para o magistério nas séries iniciais do ensino fundamental. Fez especialização em medicina preventiva e social, mestrado em ciências sociais e doutorado em ciências da saúde. Concluiu o pós-doutorado em saúde pública.

MICHAEL MELO/METRÓPOLES

Na administração pública, Fátima sempre atuou na sua área de formação. Ela foi coordenadora estadual do programa de agentes comunitários de saúde no Estado da Paraíba. O projeto a fez atuar no governo de Itamar Franco, quando foi responsável por implantar os sistema de agentes comunitários de saúde no Brasil, pelo Ministério da Saúde, de 1994 a 2001. Fátima também foi assessora da Secretaria de Saúde em São Paulo, na gestões de Luísa Erundina (1989) e de Marta Suplicy (2001),

Antes de decidir entrar na disputa por uma vaga no Buriti, Fátima Sousa era diretora da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Brasília (UnB) – a segunda maior unidade da instituição de ensino superior. O objetivo no pleito de 2018, segundo a doutora, é poder aplicar em cada canteiro da cidade todos os temas abordado por ela em sala de aula.

Hugo Barreto/Metrópoles

A principal bandeira da candidata é relançar o Saúde em Casa, fortalecendo as equipes e núcleos de apoio existentes, universalizando a nova composição mínima proposta e promovendo melhores condições de trabalho. Durante a campanha, Fátima tem defendido também os direitos humanos, a educação e a segurança pública como direitos inalienáveis de cada indivíduo. Em um possível governo, ela pretende seguir os princípios ideológicos do PSol com a defesa de uma economia que não enriqueça os ricos e esteja à serviço da população.

Andressa Anholete/Metro/Divulgação

 

Compartilhe