“Se quiserem se unir contra mim, vou ficar muito feliz”, diz Ibaneis

Líder isolado nas pesquisas de intenções de voto, emedebista descartou pedir apoio de concorrentes em eventual segundo turno

atualizado 05/10/2018 16:46

Ricardo Botelho/Especial para o Metrópoles

Em almoço na Vila Planalto nesta sexta-feira (5/10), o líder das últimas pesquisas para chefe do Executivo do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), disse que, em um eventual segundo turno, não vai pleitear o apoio de seus adversários. “Vou pedir a quem sempre solicitei: os eleitores do DF. Essa turma do passado vai ficar lá. Se quiserem se unir contra mim, vou ficar muito mais feliz”, declarou.

O buritizável voltou a criticar seu concorrente Alberto Fraga (DEM) devido à nova representação protocolada nessa quinta (4) no Ministério Público Eleitoral (MPE), na qual o parlamentar aponta práticas de abuso do poder econômico, corrupção eleitoral e falta de contrato com cabos eleitorais. De acordo com Ibaneis, o democrata não respeita o judiciário porque foi condenado por corrupção.

“Diferentemente dele, que não tem conhecimento jurídico, eu tenho. São 25 anos como advogado. Sei o que está dentro da lei ou não. Ele pode entrar com a representação que quiser”, afirmou Ibaneis.

Outro documento, assinado por Alberto Fraga (DEM), Eliana Pedrosa (Pros), Rogério Rosso (PSD), Alexandre Guerra (Novo), Paulo Chagas (PRP) e Fátima Sousa (PSol), protocolado na última quarta-feira (3), pede que a Justiça investigue a promessa do advogado de reconstruir, com o próprio dinheiro, casas derrubadas pela Agência de Fiscalização do DF (Agefis).

Panorama
A pesquisa Datafolha divulgada na noite dessa quinta-feira (4) mostra Ibaneis com 32% das intenções de voto. Em seguida, vêm: Eliana, 14%; Rodrigo Rollemberg (PSB), 11%; Rosso, 10%, e Fraga, 7%.

Com pequenas variações na margem de erro, a sondagem confirmou o resultado do Ibope divulgado na quarta-feira (3) – no qual os candidatos do PSD e do DEM trocam de lugar, mas se mantêm empatados tecnicamente.

O Datafolha apontou também que o emedebista venceria em todos os cenários analisados em um eventual segundo turno. Contra Eliana, teria 57% x 27%. Na análise contra Rosso, seriam 63% x 20%. Com Rollemberg, a vantagem seria de 61% x 23%.

Prospostas
Na Vila Planalto, Ibaneis ressaltou que o local tem um polo gastronômico muito importante para a cidade e que é preciso desenvolver essa área. “Vamos investir na segurança e diminuir os índices de violência para que as pessoas tenham confiança na região e possam investir mais na cidade”, propôs.

Mais lidas
Últimas notícias