Leila do Vôlei: “Estou focada em ser a primeira mulher senadora do DF”

Ex-secretária de Esporte é a última sabatinada pelo portal nesta sexta. Ela disse que vai trabalhar ao lado do governador que vencer eleição

Michael Melo/MetrópolesMichael Melo/Metrópoles

atualizado 21/09/2018 17:52

Para fechar a rodada de sabatinas com os candidatos ao Senado pelo Distrito Federal, o Metrópoles entrevistou nesta sexta-feira (21/9) Leila Barros, mais conhecida como Leila do Vôlei, candidata pelo PSB. Ela comentou o cenário local, falou um pouco de sua campanha e atuação como secretária de Esporte e Turismo durante a gestão do correligionário Rodrigo Rollemberg e, também, como pretende atuar, caso seja eleita em outubro deste ano.

Em uma chapa majoritariamente feminina, com a ex-secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos como 1ª suplente, Leila disse que quer ser a “primeira senadora mulher pelo DF”. Ela afirmou que vai usar a cadeira em prol da população, não de um governador ou de outro. “Hoje, trabalhamos para a eleição do governador, mas trabalharei com quem for eleito. Meu foco é a população”, afirmou

Entre as medidas que pretende tomar no caso de exercer o mandato no Legislativo, a ex-atleta garantiu descartar regalias do cargo, como verbas de passagem, aposentadoria especial, com exceção do salário. “Eu vivo dele, mas sou contra o resto. A sociedade precisa discutir esse formato atual e exigir uma reforma do sistema político”, defendeu.

Leila contou ter decidido disputar o Senado depois de amplas conversas com companheiros de partido e do marido, Emanuel, também jogador de vôlei. “Não faço da política uma profissão, ela não é a minha vida, é uma missão. Decidi concorrer ao Senado depois de uma conversa franca com meu marido”, relatou.

Assista: 

Leila ainda rebateu críticas de adversários de que está “escondendo o governador Rodrigo Rollemberg em sua campanha. “Isso é um jogo sujo. Participei do governo por três anos, tenho orgulho do trabalho que realizei. Rollemberg foi uma das pessoas que me convenceram a disputar o Senado pelas chances que eu poderia ter”, enfatizou a postulante.

A candidata disse ser contra a liberação da maconha e contra a descriminalização do porte de armas. “Sou a favor da segurança. Temos é que tirar a arma da mão do bandido, do traficante. Temos que trabalhar uma segurança mais eficaz. Se todo mundo ficar armado, vamos entrar em uma guerra civil. Daqui a pouco as pessoas estão matando por nada”, criticou.

História
Nascida em Brasília, Leila viveu praticamente toda a vida em Taguatinga, onde estudou em escolas públicas da região administrativa. Teve uma carreira ascendente no esporte e conquistou diversos títulos, o que resultou no convite para integrar a Seleção Brasileira de Voleibol.

Participou de três olimpíadas e, em 2000, foi considerada pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) como a melhor atleta em duas modalidades: atleta de voleibol e feminina do Brasil. Ela foi secretária de Esportes do atual governo de Rodrigo Rollemberg (PSB), com quem divide a chapa majoritária socialista nestas eleições.

Ao longo de duas semanas, o Metrópoles entrevistou os 18 candidatos ao Senado pelo DF, conversou com Wasny de Roure (PT)Danilo Matoso (PCO), Fadi Faraj (PRP)Hélio Queiroz (PP), João Pedro Ferraz (PPL), Marcelo Neves (PT), Chico Sant’Anna (PSol), brigadeiro Átila Maia (PRTB), Chico Leite (Rede), Cristovam Buarque (PPS), Fernando Marques (Solidariedade), Robson (PSTU), Izalci Lucas (PSDB), Paulo Roque (Novo), Marivaldo Pereira (PSol) e Professora Amábile (PR). Leila do Vôlei encerrou a série.

Na próxima segunda-feira (24), o Metrópoles realizará mais um debate com os candidatos ao GDF. A transmissão ocorrerá em todas as plataformas digitais e por rádios parceiras, ao vivo.

Últimas notícias