Marcelo Neves ao Metrópoles: “A gestão de Rollemberg é um desastre”

Candidato ao Senado pelo PT, o jurista comparou governo do socialista com o do presidente: "É a cópia do que Temer faz no Brasil"

Rafaela Feliciano / Metrópoles

atualizado 14/09/2018 16:00

Candidato pelo Partido dos Trabalhadores ao Senado Federal, Marcelo Neves criticou duramente, nesta sexta-feira (14/9), o governo de Rodrigo Rollemberg (PSB), o qual classificou como “um desastre”. Durante entrevista ao Metrópoles, o jurista reforçou a campanha contra a reeleição do socialista ao comparar a gestão local com a do governo do presidente Michel Temer (MDB).

“Rollemberg é a cópia do que Temer faz nacionalmente. São modelos de gestão em que o Estado passa a ser indutor da desigualdade. No DF, Rollemberg fortifica o caos em todos os setores. Tenho visitado a situação das cidades periféricas e não há atendimento na saúde; a educação está abandonada; o transporte é precário e o trabalhador não consegue custear o serviço”, disparou.

Assista:

 

Indicado pelo PT-DF para a disputa, o professor da Universidade de Brasília (UnB) Marcelo Neves foi o segundo entrevistado do Metrópoles desta sexta. O jurista entrou na disputa eleitoral com aval do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, que escreveu-lhe uma carta de dentro da prisão. O líder petista cumpre pena de 12 anos e um mês de reclusão após ser condenado no caso do triplex em Guarujá (SP).

Responsável por assinar dois pedidos de afastamento contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, o acadêmico avaliou que o magistrado “não tem condições” de permanecer na Suprema Corte, mas também descartou a possibilidade de integrar a Casa.

“Ele não tem condições de estar no Supremo, basta ver o currículo dele. Ministro do Supremo não pode beijar mão de [José] Sarney, de Renan Calheiros ou de [Sérgio] Cabral. Eu nunca tentaria ocupar a Corte sob essas condições. Hoje, o STF é uma vergonha para os juristas brasileiros por suas inconsistências e o Gilmar é culpado por isso. Ele é também uma vergonha nacional”, disparou.

O docente da Faculdade de Direito da UnB foi autor de parecer contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e do pedido de afastamento do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, entregue ao Senado.

Marcelo Neves lecionou na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Universidade de São Paulo (USP), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP). O jurista é doutor em direito pela Universidade de Bremen, na Alemanha, e pós-doutor pela London School of Economics and Political Science, na Inglaterra, e Universidade Johann Wolfgang Goethe, na Alemanha.

O currículo de Marcelo Neves também inclui cargo no Conselho Nacional de Justiça entre 2009 e 2011 e vaga de procurador judicial de Recife, a qual ocupou entre 1981 e 1996.

Marcelo Neves tem 1% das intenções de voto, conforme aponta pesquisa Metrópoles/FSB. Cristovam Buarque (PPS), com 24%, e Leila do Vôlei (23%), do PSB, lideram a disputa pelas duas vagas no Senado. Izalci Lucas (PSDB), com 17%; Chico Leite (Rede), com 13%; e Wasny de Roure (PT), com 9%, vêm em seguida.

Entrevistas
Metrópoles começou nessa quinta (13) a série de entrevistas com candidatos da capital da República ao Senado. Com duração de 25 minutos, as conversas serão realizadas na sede do portal, no Lago Sul, com transmissão ao vivo pelo Facebook.

Foram entrevistados anteriormente Hélio Queiroz (PP) e João Pedro Ferraz (PPL).

Últimas notícias