“Senador que não cumprir promessas deve ser punido”, diz João Ferraz

Ex-procurador-geral do Ministério Público do Trabalho, o candidato ao Senado é filiado ao PPL e integra a chapa encabeçada por Ibaneis Rocha

Rafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 14/09/2018 14:49

Um dos 19 nomes que concorrem ao Senado Federal, o advogado e professor de direito João Pedro Ferraz dos Passos (PPL) conversou com o Metrópoles na tarde desta sexta-feira (14/9). Durante 25 minutos, ele falou sobre terceirização, reforma trabalhista, corrupção e foi enfático sobre o período de campanha: “Senador que tem oito anos de mandato e não cumpre promessa deveria ter uma punição”, disse.

Como estreante na corrida eleitoral, ele quer representar os direitos e interesses dos trabalhadores e do movimento sindical no Congresso. E garantiu que vai abrir mão do salário de senador, hoje em R$ 33.763,00. “Sou aposentado, tenho meus proventos e vivo muito bem com eles. Se você quer servir ao seu país não pode se servir dele”, prometeu.

Assista a íntegra da entrevista:

 

 
O candidato integra a chapa liderada pelo buritizável Ibaneis Rocha (MDB) no DF e tem como principal bandeira a revisão da reforma trabalhista. “Minha primeira ação será pedir a revisão. Hoje, vale o que o empregador negociar acima da legislação. Como o trabalhador vai negociar com os sindicatos sucateados? Tiraram a subsistência das entidades”, afirmou se referindo ao fim da contribuição sindical.

Ele ainda defendeu a revisão do projeto de reforma previdenciária, o fim da terceirização, a geração de emprego e incentivos ao microempreendedorismo. “ A terceirização transforma um emprego digno em dois subempregos”, justificou.

 

 

Últimas notícias