*
 

No início da manhã desta quarta-feira (12/9), o candidato ao Palácio do Buriti Alberto Fraga (DEM) participou de um café da manhã com representantes de empresas de transporte escolar no P Sul, em Ceilândia, e aproveitou o momento para atacar os concorrentes. Além das tracionais críticas ao governador Rodrigo Rollemberg (PSB), o coronel da reserva abriu fogo contra o adversário do MDB.

“Não podemos continuar com um gestor [Rollemberg] que nunca se reuniu com a bancada federal e perdeu mais de R$ 300 milhões de emendas porque não tinha projeto na área da saúde. Também não podemos votar em um candidato que quer comprar as pessoas com malas de dinheiro, como o Ibaneis [Rocha] faz. Temos que eleger quem tem ideias”, disparou Fraga.

Até então, a maioria dos postulantes focava seus ataques à gestão socialista no Governo do Distrito Federal. Fraga, Ibaneis, Eliana Pedrosa (DEM) e Rogério Rosso (PSD) são apontados, inclusive, por terem feito um pacto de não agressão. No entanto, em uma agenda de campanha no início deste mês, Fraga chegou a avaliar que viraria alvo dos oponentes.

“Acredito que, com a divulgação das pesquisas, vão começar a me atacar porque sou muito sincero, mas eu já estou pronto para isso”, disse o coronel no dia 2 de setembro.

Pesquisa de intenção de votos encomendada pelo Metrópoles ao Instituto FSB, divulgada nessa terça-feira (11), mostra que Eliana abriu vantagem na disputa, com 20% da preferência do eleitorado; seguida de Rollemberg, com 15%; Fraga, com 11%; Rosso, com 10%. Ibaneis aparece na sexta posição, com 3%.

Compromissos
No evento dessa terça, o candidato do DEM se comprometeu a dar maior participação aos interessados do DF nas licitações de transporte. “A gente percebe que o governo cria obstáculos nos editais para trazer gente de fora. Vamos abrir essa caixa-preta e permitir ao morador de Brasília que tenha van ou micro-ônibus a participação no processo”, garantiu.

O buritizável disse que vai priorizar a geração de emprego na cidade, com a revitalização do programa Pró-DF e a transformação do BRB em um banco de fomento ao empresariado. “Não prometo nada que não vou cumprir. Se eu não fizer, vocês podem jogar pedra em mim na rua”, afirmou.

Michael Melo/Metrópoles

Fraga fez campanha por Taguatinga e Ceilândia

Segurança
Ainda pela manhã, o coronel da reserva passou pelo comércio da Praça do Bicalho, em Taguatinga. No trajeto, foi impelido pelos eleitores a apresentar propostas sobre a área de segurança e prometeu colocar câmeras de monitoramento nas regiões do DF de maior incidência criminal.

“Já que não temos efetivo policial suficiente, graças ao atual gestor, essa será uma forma de trazer uma segurança inteligente”, propôs. Segundo o postulante, se eleito, ele colocará a proposta em prática com recursos de emendas parlamentares.

A pesquisa Metrópoles/FSB aponta que a maioria da população brasiliense tem medo de ser assaltada, roubada ou de sofrer algum tipo de violência. De acordo com o levantamento, 73% dos entrevistados se sentem pouco ou nada seguros no Distrito Federal.

Queixas
No corpo a corpo eleitoral desta quarta (12), a dona de uma papelaria reclamou da falta de segurança em Taguatinga. “Não vemos polícia na rua, só quando algo grave acontece, como um assalto. Vocês deveriam vir aqui com mais frequência, e não só para pedir voto”, disse Railda Silva, 59 anos. Fraga concordou com a comerciante e prometeu voltar ao lugar, caso seja eleito.

O parlamentar também foi abordado sobre o mesmo tema pelo vendedor Nildo Fonseca, 65 anos. “Meus filhos foram assaltados em frente à nossa casa, em Samambaia, mas eu sei que em todo lugar é a mesma coisa”, reclamou. Em resposta, o buritizável disse que isso acontece porque “as leis são frouxas e os gestores são covardes”.

Na peregrinação atrás de voto, que durou cerca de 1 hora e 30 minutos, Fraga parou para tomar café e comer biscoito em uma lanchonete. Segundo a caixa do estabelecimento, a equipe do deputado tem uma conta aberta no local para os meses de campanha.

Mais tarde, o candidato almoçou no restaurante comunitário de Ceilândia, onde prometeu voltar o preço da refeição para R$ 1 — atualmente está em R$ 3. Ele também quer colocar vigias para não permitir que moradores não lavem roupa na pia instalada em frente à unidade.

Agenda
O democrata participa nesta tarde de uma caminhada no Setor de Oficinas, no Guará, e de uma reunião com o Sindicato das Indústrias do Vestuário (Sindiveste). À noite, Fraga será sabatinado pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do DF (Sindepo) e se encontrará com moradores do Recanto das Emas.