Este é um espaço para celebrar a vida e as pessoas. Viaje comigo nesta aventura!

Médicas esclarecem sobre os suplementos para deixar o cabelo forte

Dermatologistas Karla Lessa e Luciana Passoni explicaram sobre as fórmulas que visam fazer o cabelo crescer e evitar a queda capilar

atualizado 31/05/2021 12:40

Mulher cabeloSonja Pacho/Getty Images

Quem nunca foi “bombardeado” com alguma postagem no Instagram sobre suplementos capilares que atire a primeira pedra. No formato de cápsulas líquidas ou de gomas docinhas, as fórmulas ganharam destaque pela primeira vez com as irmãs Kardashian-Jenner. Tendo em mãos o passaporte do sucesso, os produtos aterrissaram em solo tupiniquim e protagonizaram publicações de celebridades, como da atriz Larissa Manoela, da dançarina Lorena Improta e da influencer Andressa Suita.

Com a proposta de fazer “milagre”, os suplementos reduzem ou “acabam” com a queda de cabelo. Por agir no bulbo capilar de dentro para fora, combatem o problema em mais de 80%, segundo informa a descrição do produto. Também estimulam o crescimento dos fios até seis vezes mais rápido. O benefício de algumas fórmulas não se restringe apenas às madeixas. Enquanto a pele pode ficar mais hidratada, as unhas se fortalecem. Mas a dúvida que não quer calar: esses suplementos realmente funcionam?

A resposta para a pergunta é “depende”, conforme endossaram duas dermatologistas à coluna Claudia Meireles. Experts em saúde dos fios, as profissionais são bastante requisitadas por famosos. À frente do Instituto Lessa em Vitória, no Espírito Santo, Karla Lessa atende Gretchen e Gizelly Bicalho. Já a especialista em transplante capilar Luciana Passoni tem a agenda disputada por várias personalidades, como Maiara, Caio Castro e Thammy Miranda. O consultório da médica fica na Human Clinic, em São Paulo.

Dermatologistas Karla Lessas e Luciana Passoni
Dermatologistas Karla Lessas e Luciana Passoni
Avaliações

De acordo com as dermatologistas, antes de sair à procura e comprar as “fórmulas mágicas”, é necessário levar alguns pontos importantíssimos em consideração. Primeiro, saber a causa principal da queda de cabelo, para tratar corretamente. “Isso deve ser avaliado pelo seu dermatologista, por meio de exames de sangue e tricoscopia digital no consultório”, reforça Karla. Com o mesmo posicionamento, Luciana afirma só recomendar os suplementos quando avalia o problema em testes laboratoriais.

A perda capilar está associada a uma série de fatores – por exemplo, deficiência de ferro, vitaminas e proteínas. O problema também pode ser desencadeado por alterações hormonais, distúrbios na tireoide e doenças genéticas, como a alopecia androgenética. Fique atento à tração contínua dos fios, que pode ser causada pelo uso frequente de bonés, pelo hábito de deixar o cabelo preso diariamente ou pela utilização de alongamentos. Produtos químicos usados constituem mais um fator que contribui para as madeixas caírem além do normal.

Mulher cabelo grande
Antes de comprar os suplementos para fazer o cabelo crescer, é necessário diagnosticar com um profissional a razão do problema, segundo defendem as médicas entrevistadas

Especializada em dermatologia clínica e cirúrgica, Karla Lessa explica que o cabelo tem fases: “Nasce, cresce, repousa e cai”. A médica ressalta que a queda das madeixas passa a ser uma patologia quando mais de 120 fios caem por dia. Se você vive essa situação, vale procurar um dermatologista ou tricologista. O profissional fará uma avaliação minuciosa, ou seja, uma dermatoscopia capilar. Outros exames também deverão ser realizados a fim de encontrar o diagnóstico exato.

Os exames vão mostrar ao médico se o cabelo de fato está em processo de queda e quais os problemas envolvidos. O eflúvio telógeno é uma característica capilar comum no pós-parto, pós-infecção de Covid-19, pós-cirúrgico e em situações de estresse. Nesse caso, os fios caem, em média, de quatro a sete meses após o trauma, a gravidez ou a doença – por exemplo, o novo coronavírus.

Popularmente conhecida como calvície, a alopecia androgenética integra a lista de distúrbios relacionados à perda dos fios. Nas mulheres, a condição causa imperfeições na região frontal, enquanto nos homens surgem as “entradas” e falhas no centro da cabeça. Outra doença que provoca o caimento das madeixas responde por alopecia areata. Autoimune, a enfermidade provoca a rarefação capilar em placas ou círculos no couro cabeludo. “Aquelas áreas arredondadas sem cabelo”, esclareceu Karla.

0
Cuidado!

As dermatologistas se opõem a fazer o uso dos suplementos capilares sem prescrição médica, visto que as fórmulas podem gerar algum efeito negativo no organismo. Segundo Luciana Passoni, alterações renais e hepáticas por aumento de ativos para metabolização são apenas algumas das consequências de consumir os produtos sem indicação profissional. Quando ingeridas em grande quantidade, as substâncias causam o resultado contrário nas madeixas, ou seja, prejudicam a fibra do cabelo.

“Somente ativos como biotina e silício orgânico podem ser usados para melhorar os fios, mas com muita cautela na dosagem. Depois dos exames, faço as indicações precisas, com a porcentagem necessária – não para todos os pacientes. Não recomendo a livre compra [dos suplementos] em farmácias, sem consulta médica”, frisa a especialista. Luciana Passoni participou de treinamento em doenças de cabelo e couro cabeludo com a médica Antonella Tosti, profissional mundialmente renomada.

0

A bula das fórmulas contra a queda dos fios apontam a presença da biotina — ou melhor, a vitamina B7 –, razão pela qual alguns suplementos foram batizados com o nome da substância. Como não há apenas esse componente nos produtos, deve-se buscar atendimento clínico, para o médico diagnosticar o motivo da perda capilar e avaliar a melhor terapêutica ao problema. Vale destacar que, antes de procurar o medicamento por conta própria, é necessário descobrir a causa da queda dos fios, defende Karla Lessa:

“Importante saber que qualquer suplemento consumido sem indicação médica pode causar danos ao corpo. Tanto a deficiência de vitamina e minerais como o excesso delas são prejudiciais”.

0
Truques de mestre

De acordo com Karla, o crescimento médio do cabelo é de um centímetro por mês. “Para os fios ficarem grandes, será necessário um pouquinho de paciência”, adverte. À coluna, a dermatologista deu algumas dicas para quem deseja ficar com as madeixas longas em menos tempo. Ela também esclareceu alguns mitos bem comuns. Confira!

1 – Massagear o couro cabeludo levemente durante a lavagem ajuda a ativar a circulação, favorecendo o crescimento dos fios.

2 – Cortar as pontas duplas não faz o cabelo crescer mais rápido, mas ajuda a eliminar os fios danificados, que prejudicam o aspecto capilar.

3 – Invista em terapia capilar. “O método é o mais completo para fortalecer as madeixas. A terapia visa repor os nutrientes dos fios, além de usar ativos à base de óleos essenciais para tratar couro cabeludo”, argumenta Karla Lessa. O procedimento melhora o brilho, crescimento, elimina caspas e reduz a queda, se o paciente tiver o transtorno.

4 – Mantenha seu cabelo hidratado. A especialista compartilhou “truques caseiros” para manter os fios saudáveis, como a hidratação com óleo de coco. “O ácido láurico é o segredo por trás dos benefícios do coco. O elemento tem alta afinidade com a proteína do cabelo, deixando-o brilhante e nutrido. Ao aplicar em cada mecha, passe apenas no comprimento e evite a raiz. “Massageie até as pontas e deixe agir por pelo menos 2 horas”, instrui Karla.

5 – Alimente-se bem e de forma saudável. Seguindo a máxima “você é o que você come”, a alimentação influencia no crescimento capilar. Opte por alimentos ricos em nutrientes capazes de fortalecer as madeixas, como proteínas, sais minerais (zinco, cálcio e ferro) e vitaminas (E, C e do complexo B).

Cabelo mulher
Karla Lessa deu dicas para estimular o crescimento das madeixas

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Últimas notícias