Rolou na 3ª: Bolsonaro dá “cartão vermelho” ao Renda Brasil; Mourão x Inpe

Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) atualiza: com mais 1.113 mortes, Brasil chega a 133.119 óbitos por coronavírus

atualizado 15/09/2020 20:47

Rolou nesta terça-feira (15/9): o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sepultou o projeto Renda Brasil e garantiu que seu governo vai tocar o Bolsa Família. E descartou a possibilidade de congelar aposentadorias e pensões do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) por dois anos para criar o programa Renda Brasil.

Sem citar nominalmente o secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, o chefe do Executivo disse, bastante irritado, em vídeo nas redes sociais: “Quem porventura vir a propor para mim uma medida como essa, só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa”.

“É gente que não tem o mínimo de coração, o mínimo de entendimento para com os aposentados do Brasil”, afirmou o presidente da República.

“E a última coisa: até 2022, no meu governo, está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa família e ponto final”, finalizou.

E o vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), disse que “há alguém” no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) que faz oposição ao governo e divulga informações sobre queimadas e desmatamento apenas quando o dado é ruim.

“Quando o dado é negativo o cara vai lá e divulga. Quando é positivo, não divulga, entendeu? É alguém lá de dentro que faz oposição ao governo”, acusou o vice, sem provas. Questionado sobre quem seria essa pessoa, Mourão respondeu: “Não sei, não sou diretor do Inpe”.

Leia mais notícias desta terça:

Últimas notícias