Damares garante que “em momento algum” governo cogitou restringir o BPC

Ministra da Mulher e Direitos Humanos admitiu, porém, que governo quer mexer nas regras do benefício pago a idosos e pessoas com deficiência

atualizado 15/09/2020 15:45

Damares na 12ª DP, Taguatinga, caso do pedófilo que fez 60 vítimasIgo Estrela/Metrópoles

Aderindo ao debate sobre o futuro da seguridade social no Brasil, a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, divulgou comunicado garantindo que o governo nunca “cogitou restringir direitos aos idosos e pessoas com deficiência”, os que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

“Diferentemente disso, o decreto que está sendo gestado pelo governo, em conjunto com o Congresso Nacional e a sociedade civil, amplia direitos, adequa a legislação ao que tem de mais moderno no mundo e inclui mais pessoas dentre os elegíveis”, garantiu ela, que respondeu a uma reportagem da Folha de São Paulo.

Ouvindo técnicos da economia, o jornal revelou que o governo pretende economizar até R$ 10 bilhões por ano endurecendo as regras de concessão do BPC.

Segundo Damares, em postagem na tarde desta terça-feira (15/9), com o decreto que está sendo gestado, a previsão é de que mais 450,6 mil pessoas sejam elegíveis como novos beneficiários do BPC.

0

 

A ministra nega, portanto, um endurecimento e fala em adequação das regras. “Este é um compromisso inafastável do governo federal: ampliar direitos dos que mais precisam”, garante ela.

Veja a postagem da ministra:

Últimas notícias