Paulo Guedes sobre estatais: “Adoraria vender todas”

Para o ministro, a venda de empresas públicas é urgente. Segundo ele, o Brasil foi criado com uma "estrutura política fechada"

Ministério da EconomiaMinistério da Economia

atualizado 05/11/2019 16:31

Será apresentado nos próximos dias um projeto para acelerar a venda de estatais, como bancos e empresas de extração mineral. Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, o governo está dispondo das empresas mais lentamente do que ele gostaria.

Segundo Guedes, a venda de estatais é urgente. Para ele, o estado brasileiro foi criado com uma estrutura política fechada, com bancos públicos, estatais e investimento em infraestrutura cabendo ao Estado.

“Isso produziu o que se esperava dele. Em meados de 1980, o Brasil se abre politicamente. O que uma democracia pede é diferente do que uma ordem politicamente fechada pede”, ponderou, ao defender o pacote de medidas. “Chegamos a um Estado que gasta muito e gasta mal”, concluiu.

Ele foi categórico. “Eu adoraria vender todas as estatais. Você pergunta o por quê? Para ter mais recursos para educação, saúde e saúde”, finalizou.

Reformas
Nesta terça-feira (05/11/2019), Guedes e o presidente Jair Bolsonaro (PSL) foram ao Congresso entregar ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), três das seis propostas para melhorar as contas públicas. O projeto é chamado de Plano Mais Brasil – A transformação do Estado.

Depois, em coletiva de imprensa, o ministro comentou os principais pontos da primeira parte das reformas. “A nossa decisão foi dar o braço a estados e municípios e transformar o Estado junto. Dividir. Isso é melhor para a União, que sempre é a viúva”, destacou.

Isso é o caso da cessão onerosa (divisão do dinheiro arrecadado com a venda de bacias de petróleo). “Estamos dividindo espontaneamente. Se a União pegasse tudo para si, o problema dos estados e municípios continuaria e voltaria para a União”, avaliou Guedes.

Últimas notícias