Guedes: “Preço do arroz subiu porque condição de vida dos pobres melhorou”

Ministro da Economia cita que governo pagou parcelas do auxílio emergencial e liberou saque do FGTS durante a pandemia

atualizado 15/09/2020 14:13

paulo guedesRafaela Felicciano/Metrópoles

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta terça-feira (15/9) que o preço do arroz registrou forte alta em meio à crise do novo coronavírus porque a condição de vida dos mais pobre está melhorando. No ano, a inflação do arroz acumula alta de 19,2%.

Guedes destacou que houve uma “enxurrada de dinheiro” paga a famílias de baixa renda durante a pandemia, como o auxílio emergencial de R$ 600 e o saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

“A pauta de consumo dos mais vulneráveis e dos mais frágeis é justamente a alimentação e a construção da casa própria. Então está havendo um boom da construção na baixa renda e nos supermercados”, disse, em videoconferência com a Telecomunicações do Brasil.

“Os mais pobres estão comprando, estão indo no supermercado, estão comprando material de construção. Então, na verdade, isso é um sinal de que eles estão melhorando a condição de vida”, afirmou Guedes.

“O preço do arroz está subindo porque eles estão comprando mais – está todo mundo comprando mais. Além disso, tem as exportações e subiu o dólar também”, contemporizou o ministro da Economia, na live.

Ele disse também que está vindo uma “supersafra” de arroz a partir de janeiro e que a alta de preço é temporária, um problema transitório. “Isso reflete um aquecimento de demanda e ali na frente se dissolve”, ressaltou.

0

 

 

Últimas notícias