“Estou mais preparado para reagir”, diz Bolsonaro sobre assalto

Nome do PSL para a eleição presidencial de 2018 defendeu que a população tenha direito ao porte de arma e à legítima defesa

ReproduçãoReprodução

atualizado 31/07/2018 0:16

Jair Bolsonaro (PSL) reafirmou sua posição favorável à possibilidade de a população ter porte de armas. A declaração foi dada em entrevista nesta segunda-feira (30/7) a jornalistas no programa Roda Viva da TV Cultura. O tema foi suscitado pela repórter Daniele Lima, da Folha de S.Paulo, ao questionar episódio em que ele foi assaltado em 1995. Ela quis saber se ele não estava preparado para reagir na ocasião, uma vez que dispunha de um revólver durante o episódio.

“Fui assaltado, sim. Fui rendido por dois caras que me pegaram por trás. Dois dias depois nós recuperamos a arma e a motocicleta. Por coincidência, o “dono” da Favela de Acari apareceu morto. Eu não matei ninguém, não fui atrás de ninguém, mas aconteceu”, lembrou ao comentar o episódio. Na mesma resposta, o militar reformado afirmou que comprou uma arma melhor e que está mais preparado hoje para reagir do que há 20 anos.

Eu comprei uma arma melhor ainda e estou mais preparado para reagir agora do que há 20 anos. Não podemos permitir o espírito de cordeiro. Quem não quiser ter arma que não tenha. Eu defendo a legítima defesa e fazer cumprir o decidido pelo povo no referendo (do armamento, em 2005)

Jair Bolsonaro em entrevista ao programa Roda Viva

Durante a sabatina, Bolsonaro disse que “pessoas usaram tortura para obter indenizações e poder” e que “gostaria de ter estado mais vezes ao lado de Eduardo Cunha”. Em outro momento, o pré-candidato reforçou a intenção de ter o astronauta brasileiro Marcos Pontes em um eventual governo, ocupando o posto de ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações

Antes mesmo de a entrevista ter início, o assunto já estava entre os mais comentados na rede social Twitter com dezenas de milhares de menções. A hashtag #BolsonaronoRodaViva levou grande número de usuários a debater prós e contras sobre o candidato. Durante a entrevista, o assunto ficou entre os mais comentados.

A pré-candidatura do ex-paraquedista do Exército Brasileiro foi anunciada em 22 de julho durante a Convenção Nacional do PSL, no Rio de Janeiro. Até o momento ele não definiu um nome para o cargo de vice.

A advogada Janaína Paschoal, o astronauta Marcos Pontes e Luiz Philippe de Orléans e Bragança, sobrinho de D. Luís Gastão de Orléans e Bragança, atual chefe da Casa Imperial do Brasil, o deputado federal Victório Galli (PSL-MT) e até um general da ativa que não teve o nome revelado foram cogitados.

Roda Viva
O militar reformado foi sabatinado pelo apresentador  Ricardo Lessa e por Thaís Oyama, redatora-chefe da revista Veja; Maria Cristina Fernandes, colunista do jornal Valor Econômico; Leonencio Nossa, repórter especial do jornal O Estado de S. Paulo; Bernardo Mello Franco, colunista do jornal O Globo, e Daniele Lima, repórter da Folha de S.Paulo. O cartunista Paulo Caruso ficou responsável pelas ilustrações do presidenciável.

Bolsonaro foi o décimo pré-candidato a marcar presença no programa da TV Cultura. Marina Silva (Rede), Guilherme Boulos (PSol), João Amoêdo (Novo), Ciro Gomes (PDT), Alvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB), Manuela D’Ávila (PCdoB), Guilherme Afif Domingos (PSD) e Geraldo Alckmin (PSDB) foram os participantes.

Últimas notícias