DF: mulher espancada após namorado ler mensagens do ex no celular dela

Vítima deu entrada no HRS com lesões na mandíbula, cabeça, no rosto, além de cortes na testa. Suspeito foi preso em flagrante

iStock/Imagem ilustrativaiStock/Imagem ilustrativa

atualizado 23/07/2019 14:52

Uma mulher foi espancada pelo namorado em Planaltina, no Distrito Federal, nesse domingo (21/07/2019). De acordo com a Polícia Civil, o homem teria se irritado após encontrar mensagens do ex-marido no celular da parceira.

Em decorrência das agressões, a vítima teve cortes na testa, inchaço no rosto e na cabeça, e reclamava de dores na mandíbula. Após ser atendida pelo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), ela foi encaminhada ao Hospital Regional de Sobradinho (HRS). Nessa segunda-feira (22/07/2019), a mulher teve alta médica.

O agressor, por sua vez, foi preso em flagrante no dia do crime. Ele mesmo teria acionado o socorro médico do CBMDF, segundo a polícia. O caso de violência doméstica é apurado pela 16ª Delegacia de Polícia (Planaltina).

O investigador Diogo Cavalcante, responsável pelo inquérito, informou que o homem, depois de ter confessado o crime, disse que queria pagar pelo que fez.

“A vítima já tinha denunciado o namorado em maio deste ano. À época, ela pediu medida protetiva após ele ter um ataque de fúria. Depois de um tempo, eles reataram. Nesse domingo, houve nova agressão. Ele tem uma terceira passagem na polícia também por Maria da Pena”, disse o policial. O casal namora há um ano e meio.

No dia da prisão, foi estabelecida fiança de R$ 5 mil. No entanto, em audiência de custódia realizada nesta terça-feira (23/07/2019), a Justiça decretou a prisão preventiva do autor do ataque.

Só no primeiro semestre de 2019, até a última atualização da Secretaria de Saúde do DF, em 8 de julho, 648 vítimas foram atendidas pelos hospitais e policlínicas da capital federal em decorrência de violência doméstica. No mesmo período, em 2018, o número foi de 254.

 

 

Neste 2019, o Metrópoles iniciou projeto editorial para dar visibilidade às tragédias provocadas pela violência de gênero. As histórias de todas as vítimas de feminicídio do Distrito Federal serão contadas em perfis escritos por profissionais do sexo feminino (jornalistas, fotógrafas, artistas gráficas e cinegrafistas), com o propósito de aproximar as pessoas da trajetória de vida dessas mulheres.

O Elas por Elas propõe manter em pauta, durante todo o ano, o tema da violência contra a mulher para alertar a população e as autoridades sobre as graves consequências da cultura do machismo que persiste no país.

Desde 1° de janeiro, um contador está em destaque na capa do portal para monitorar e ressaltar os casos de Maria da Penha registrados no DF. Mas nossa maior energia será despendida para humanizar as estatísticas frias, que dão uma dimensão da gravidade do problema, porém não alcançam o poder da empatia, o único capaz de interromper a indiferença diante dos pedidos de socorro de tantas brasileiras.

Últimas notícias