Após mensagem que desagradou traficantes, mulher é espancada e morta

Ela escreveu que um traficante armado em um ponto de venda de drogas está assumindo o risco de ser morto em um confronto com policiais

Reprodução/ GloboNewsReprodução/ GloboNews

atualizado 22/11/2018 17:43

Seis dias após publicar uma mensagem nas redes sociais que desagradou traficantes do Complexo do Caju, no Rio de Janeiro, uma mulher foi assassinada pelos criminosos. O extermínio foi determinado pelo chefe do crime no local, que está preso.

No dia 27 de fevereiro, Helen Alves de Oliveira escreveu que um traficante armado em um ponto de venda de drogas está assumindo o risco de ser morto em um confronto com policiais. No dia 5 de março, ela foi espancada, torturada e esquartejada, além de ter tido o cadáver queimado, para dificultar a identificação.

O traficante Luiz Alberto Santos de Moura, conhecido como Bob do Caju, é o principal suspeito de ser o mandante, segundo investigações da Polícia Civil e do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ). Junto dele, mais seis pessoas foram denunciadas por homicídio duplamente qualificado: por motivo torpe e impossibilidade de defesa da vítima, além do crime de ocultação de cadáver. As informações são do G1.

“Infelizmente, esse monitoramento do tráfico de drogas chegou ao nível eletrônico, das redes sociais. E hoje essas pessoas que são dominadas pelo tráfico, pela criminalidade, não podem nem manifestar o seu descontentamento pela violência brutal dos traficantes. Porque eles reforçam mais essa brutalidade, cometendo esse crime bárbaro. O que reforça esse império do silêncio que vigora nas nossas comunidades fluminenses”, frisou o promotor Sauvei Lai.

Últimas notícias