Bombou na 6ª: Bolsonaro no Brasil sem fome, goleiro Bruno solto e FGTS

Presidente também casou polêmica ao orientar retaliações contra o governador Flávio Dino (MA) e se referir aos nordestinos como "paraíbas"

Marcos Corrêa/PRMarcos Corrêa/PR

atualizado 19/07/2019 22:05

Foi uma sexta-feira (19/07/2019) bem prolífica em termos de notícias envolvendo o presidente Jair Bolsonaro (PSL). Pela manhã, após café da manhã oferecido a profissionais da imprensa estrangeira, o presidente polemizou ao afirmar que não há fome no Brasil. “Não se vê gente, mesmo pobre, pelas ruas, com físico esquelético”, disse. Bolsonaro criticou políticos que usam essa situação em discursos e os chamou de populistas. “O Brasil é um país rico para praticamente qualquer plantio. Fora que passar fome no Brasil é uma grande mentira”, pontuou. Segundo o presidente, o brasileiro pode até passar mal por não comer bem, mas “passar fome, não”.

Foi apenas uma das várias polêmicas do presidente nesta sexta.

Confira mais aqui:

Em Minas Gerais, o ex-goleiro do Flamengo Bruno Fernandes, condenado há 20 anos e 9 meses pelo homicídio da modelo Eliza Samudio, deixou o presídio de Varginha, após conseguir a progressão para o regime semiaberto. A decisão havia sido tomada nessa quinta-feira (18/07/2019) e foi cumprida nesta sexta após a realização dos devidos procedimentos, como a audiência de instrução e o exame médico para a saída da prisão.

Veja mais:

Na área de economia, o trabalhador que escolher a opção de sacar uma parcela do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) todo ano no mês de aniversário e se arrepender terá o direito de voltar atrás. A ideia é que a nova opção de saque do FGTS permita ao trabalhador resgatar uma parcela (cujo porcentual ainda não foi batido o martelo) em troca de abrir mão do saque de todo o fundo caso seja demitido sem justa causa.

Mais sobre o tema:

Também foi notícia nesta sexta:

 

Últimas notícias