Polícia prende suspeito de matar idoso atropelado em ato do MST

Leo Luiz Ribeiro, 60 anos, disse ter acelerado o veículo por medo e que "não percebeu" ter atingido alguém com o carro

Tânia Rego/Arquivo/Agência BrasilTânia Rego/Arquivo/Agência Brasil

atualizado 19/07/2019 16:01

A Polícia Civil prendeu na tarde desta quinta-feira (18/07/2019), em Atibaia (SP), o vendedor Leo Luiz Ribeiro, de 60 anos, acusado de atropelar e matar um idoso de 72 anos que participava de um ato de moradores de uma ocupação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Valinhos (SP). As informações são do portal G1.

Durante depoimento, o suspeito disse ter acelerado o veículo por medo. Júlio César Brugnoli, delegado titular do 1º DP de Valinhos e responsável pelo caso, afirmou que o Ribeiro disse não ter percebido que havia matado alguém e acelerou após o carro ser cercado por manifestantes do movimento.

“Ele [alegou que] foi abordado na estrada, de uma forma violenta, que a caminhonete estava sendo atacada por pedras e paus pelo pessoal do MST, e que a reação dele foi de fuga e que não teria percebido o atropelamento e fugido por medo da situação”, contou o delegado.

Ribeiro foi levado à cadeia anexa ao 2º Distrito Policial de Campinas (SP) e, segundo o delegado, será julgado pelos crimes de homicídio doloso, lesão corporal dolosa e fuga no local do acidente.

“Passar por cima”
Um vídeo que circula nas redes sociais mostra, supostamente, o irmão de Ribeiro chegando até a delegacia em que ele era interrogado e afirmando que “deveria ter pego o caminhão e passado por cima”. A deputada federal Erika Kokay (PT-DF), foi uma das que publicou o vídeo.

Confira:

Últimas notícias