Saiba quais são os principais tomates do mercado e seu melhor uso

É possível encontrar cerca de seis tipos da fruta na maioria dos mercados urbanos. Saiba quais são e suas características

atualizado 31/01/2020 17:00

Pixabay

Comemorado em 1º de fevereiro, o Dia do Tomate é a data perfeita para lembrar que ao contrário do que muitos pensam, nem todo tomate é igual. Existem mais de cem tipos diferentes ao redor do mundo, mas nos mercados urbanos brasileiros normalmente encontram-se seis tipos.

E é sempre bom lembrar que tomate é uma fruta, não um legume, que pode (e deve!) ser usado para fazer sucos, doces, geleias, molhos e outros.

Pixabay
Tomate carmen, o mais comum
Carmen

É o famoso “tomate de salada” que vemos nas gôndolas de qualquer mercado. É mais barato que os demais, possui grande concentração de água e sabor muito suave, por conta disso é melhor evitá-lo para molhos. O melhor uso é de fato em saladas ou geleias, pela alta concentração de pectina.

Pixabay
Italiano, ideal para molhos
Italiano

É aquele tomate mais longo, avermelhado. Por ser mais sensível às alterações climáticas, é mais caro que a maioria dos “irmãos”. Mais adocicado e com um vermelho mais intenso, é ideal para os molhos de tomate. Seu nome italiano, san marzano, é usualmente visto nas latas de tomate pelatti (pelado) italianas.

Unsplash
Caqui, ideal para saladas vistosas
Caqui

É redondo, maior e mais tenro. Também ideal para uso em saladas, até pelo seu corte transversal vistoso. Possui mais sabor que o carmen e menos água. Por conta da seleção de tomates que se desenvolvem mais rápido, infelizmente é cada vez mais difícil encontrar esta variedade com uma coloração avermelhada e vistosa.

Pixabay
O tomatinho cereja é ideal para preparar um confit
Cereja

É pequeno, com cerca de 4 cm de diâmetro, mais adocicado e avermelhado. Ideal para saladas mais finas, por conta do sabor delicado. Bom para preparar tomates confitados também.

Pixabay
O tomate sweet grape equilibra acidez e dulçor
Sweet grape

Muitas vezes confundido com o cereja (até mesmo nas etiquetas), lembra uma miniatura do tomate italiano, comprido, pequeno e de um dulçor único. É ideal para saladas em que se queira equilibrar doçura e acidez. Também é recomendado para preparo de drinques e sucos (experimente um gim tônica usando ele e manjericão)

Pixabay
O tomate holandês costuma ser o mais caro das gôndolas
Holandês

Provavelmente o mais “nobre” que encontramos em mercados brasileiros. Redondo, doce e usualmente vendido ainda com o ramo da fruta. Por seu sabor (próximo ao sweet grape), pode ser utilizado em salada, sucos e até mesmo molho, porém seu custo é mais alto do que o dos outros.

Últimas notícias