Este é um espaço para celebrar a vida e as pessoas. Viaje comigo nesta aventura!

Xô, ansiedade: RPs brasilienses compartilham rotina na quarentena

Claudia Salomão, Renata Foresti, Daniel Abem e Thiago Miranda contaram o que fizeram ao longo da primeira semana de isolamento social

atualizado 26/03/2020 16:19

RPs de BrasíliaArquivo Pessoal/Reprodução/Instagram

Os brasilienses são anfitriões natos. Não faltam comemorações em suas agendas. Por fazer cobertura de eventos, a coluna Claudia Meireles se viu na responsabilidade de abordar como a falta de encontros sociais e o isolamento afetarão o emocional das pessoas.

Para isso, conversou com profissionais da área psicologia a fim de saber: “Como não entrar em pânico durante a quarentena?”. Personalidades da capital também responderam o que têm feito no tempo livre, dando um “xô” na ansiedade.

“Quanto mais cedo nos distanciarmos, mais cedo nos abraçaremos.” Essa mensagem protagonizou postagens de celebridades e deve ser internalizada na tentativa de racionalizar o atual cenário, segundo a psicóloga clínica Karlla Lima. Somando ao ponto de vista da profissional, a psicóloga da saúde Deyse Sobral argumenta sobre a quarentena ser um momento transitório com o objetivo de preservação.

“Em vez de enxergar o período com aversão, vale perceber as oportunidade de realizar uma série de atividades que, por vezes, não são factíveis devido à correria do dia a dia”, pondera Deyse. A perspectiva foi seguida à risca pelos RPs Thiago Miranda, Daniel Abem, Claudia Salomão e Renata Foresti. Bem relacionadas, as personalidades da capital têm presença garantida nos eventos. Porém, com a medida, precisaram se recolher no conforto do lar.

Daniel Abem

“A princípio, o isolamento social é meio assustador. Ainda estou em fase de adaptação desta nova rotina”, frisa Daniel Abem.

Márcia Gabriella Carvalho explica o sentimento do relações-públicas. Segundo a psicóloga, a maioria dos momentos prazerosos ocorre na convivência com a rede de amigos. Devido à reclusão e ociosidade, “é natural que, inicialmente, o indivíduo se sinta perdido sobre quais atividades resgatarão as sensações agradáveis”, reforça a profissional.

Daniel Abem
Bem-humorado, Daniel Abem colocou em dia séries e filmes

De acordo com Deyse Sobral, mudanças bruscas na vida diária demandam ajustes, principalmente quando não são voluntárias. Sentimento de impotência, perda de controle, frustração, fragilidade, irritabilidade, insônia e receio de possíveis perdas financeiras são alguns dos sinais que podem aparecer ao longo do confinamento.

Daniel Abem compartilha da apreensão com o lado financeiro por trabalhar com eventos. A maioria deles tem sido cancelada. “Se isso durar muito tempo, precisarei me readequar ao mercado e ponderar alguma forma de trabalho a distância”, reitera. Mas nada de deixar a preocupação ocupar totalmente os pensamentos. Como uma forma de descompressão, o brasiliense, conhecido pelo bom-humor, apostou em maratonar filmes e séries.

Renata Foresti

“Se manter leve e positiva” tem sido o mantra de Renata Foresti para os dias de distanciamento. “As recomendações de saúde são importantes e, agora, é um momento de responsabilidade coletiva”, complementa a também influenciadora digital. De acordo com as profissionais de psicologia, o otimismo facilita o confinamento e pode reduzir as angústias de quem mora no mesmo lar.

Renata Foresti
Renata criou uma rotina com meditação, treinos e oração

No atual momento, otimizar o tempo com os familiares ganhou protagonismo na casa de Renata: “Aproveito para dialogar mais com minhas filhas e apoiá-las no questionamento sobre a graduação no Ensino Médio”.

Meditação, treinamento físico e oração estão entre as atividades reconfortantes da RP. “A fé se configura como um pilar importante em momentos de instabilidade como este”, aconselha Deyse Sobral, ao recomendar afazeres benéficos ao corpo e à mente.

Claudia Salomão

A psicóloga Pollyanna Vasconcelos indica o estabelecimento de uma rotina e, aos poucos, a inserção de ações descontraídas, como leitura, pintura, jogos e exercícios físicos. “Somos capazes de realizar atividades dentro de casa. Devemos ver o isolamento como oportunidade de autoconhecimento e organização mental”, salientou a profissional. Quem optou pelo método foi Claudia Salomão.

Claudia Salomão
Claudia Salomão ativou o modo spa em casa

“Estou fazendo um verdadeiro spa de cuidados e descanso nesta quarentena. Alimentação saudável, sol e piscina, além de cuidados com a pele e o cabelo. Reativei produtos de beleza guardados”, destacou a RP. A psicóloga Márcia Gabriella dá enfoque a resgatar vivências em família que ficaram esquecidas com o tempo. No lar dos Salomão, escolher por votação um filme e assisti-lo em sessões com pipoca tornou-se um dos instantes favoritos da relações-públicas.

Thiago Miranda

O RP Thiago Miranda levou um susto logo após a temporada carnavalesca. O empresário ficou internado com suspeita e sintomas da Covid-19. Depois de exame e contraprova darem negativo, ele fez uma pausa nas programações para se recuperar. Em seguida, engatou no confinamento domiciliar. “Aproveitei o tempo livre. Organizei meu closet, minha agenda e rotina”, conta o comunicador.

Thiago Miranda
O empresário aproveitou o tempo para elaborar um projeto solidário

Ao final das tarefas pendentes, Thiago se viu em um período de reflexão. Enquanto pensava longe, ele teve o estalo de ajudar o próximo. O comunicador pediu a celebridades para divulgarem no Instagram Stories dicas de pequenos negócios. De acordo com Pollyanna Vasconcelos, uma forma de aprender a lidar com ócio é manter a mente ativa.

“A sociedade contemporânea promove estímulos diários. Hoje, o celular é uma extensão do corpo para a maioria das pessoas. Mesmo em isolamento, há essa forma de interação com a rede de amigos”, reforçou Pollyanna, ao reconhecer o lado bom da tecnologia no atual momento.

Xô, ansiedade!

Quer espantar a ansiedade? A psicóloga Karlla Lima dá dicas para driblar o transtorno ao longo quarentena. Antes de tudo, tenha uma boa noite de sono, uma das principais condições para o bem-estar, segundo a neuropedagoga Priscila Peres.

1 – O isolamento é físico, não virtual. Tire um tempo do seu dia para conversar virtualmente com seus amigos, compartilhe seus sentimentos e ofereça escuta. Lembre-se, também, de higienizar o celular;

2 – Coloque no papel coisas que você sempre desejou fazer em casa e nunca teve tempo ou acabava procrastinando;

4 – Faça uma maratona do seu seriado favorito e leia novamente seu livro queridinho. Transforme o tédio em tempo de qualidade com as pessoas que moram com você. Chame os familiares para um jogo em conjunto. Garantia de risadas;

5 – Faça atividades prazerosas, pratique exercícios em casa, organize o guarda-roupa, limpe os pincéis de maquiagem. Se ocupe;

6 – Cuidado com o excesso de informações. Coloque o autoconhecimento em prática para filtrar a qualidade e quantidade de notícias.

 

0

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Últimas notícias