Sete chás calmantes naturais para ansiedade, insônia e nervosismo

Maracujá, camomila, valeriana e cidreira são algumas das plantas que podem ajudar você a se acalmar e dormir melhor

Solstizia/iStockSolstizia/iStock

atualizado 22/01/2019 8:03

Nervosismo, ansiedade e insônia já fazem parte do cotidiano da sociedade moderna, infelizmente. Não é raro que as pessoas recorram a medicamentos artificiais para relaxar e dormir. É possível, no entanto, contar com auxílios mais naturais. Há muitas plantas que relaxam músculos e acalmam a cabeça.

As infusões são a melhor maneira de aproveitar as propriedades de folhas e flores nesse sentido. O preparo do chá já é uma oportunidade de parar a correria e relaxar: ele exige paciência para que o ponto fique adequado; depois, tempo para que a temperatura diminua e possa ser bebido.

Um exemplo de calmante natural é a Passiflora incarnata, a flor do maracujá. Além de fácil de encontrar, a planta possui propriedades sedativas, que acalmam e favorecem o sono.

Confira outros exemplos de plantas que vão te ajudar a diminuir a ansiedade:

  • Valeriana: a sua raiz tem ação calmante e estimulante do sono, por isso é muito indicada em casos de agitação, insônia, fobia ou ansiedade;
  • Erva-de-são-joão, ou hipericão: é um bom restaurador para o sistema nervoso e antidepressivo. A planta pode ser usada no tratamento de depressão, ansiedade e agitação nervosa;
  • Camomila: tem ação calmante no sistema digestivo e nervoso; cria sensação de harmonia em casos de agitação;
  • Tília: suas propriedades calmantes auxiliam no tratamento de distúrbios do sistema nervoso, como estresse excessivo, ansiedade e histeria;
  • Melissa, ou cidreira: pode ser utilizada em caso de perturbações do sono, nervosismo e ansiedade;
  • Alfazema: é rica em cumarina e óleos essenciais que possuem propriedades calmantes e relaxantes; é ótima aliada contra a tensão nervosa.

Além dos chás, existem suplementos alimentares em forma de comprimidos à venda em lojas de produtos naturais, supermercados e algumas farmácias. Eles funcionam bem para aliviar sintomas a longo prazo, reduzindo o surgimento de crises de ansiedade, por exemplo. É importante lembrar que as suplementações devem ser indicadas por um fitoterapeuta ou um nutricionista, porque a dosagem varia para cada paciente.

Como fazer um chá calmante
Adicione um sachê ou 20 g da planta escolhida a uma xícara de água fervente. Deixe em infusão por um período de cinco a 10 minutos. Tome o chá de duas a três vezes ao longo do dia ou antes de situações que provoquem mais estresse.

Se a necessidade é de um calmante para dormir, o chá mais indicado é o de valeriana: o consumo aumenta os níveis de melatonina, importantes para induzir o sono. Nesse caso, o chá deve ser tomado entre 15 e 30 minutos antes de dormir. Nesse período, evite assistir televisão ou usar aparelhos eletrônicos, como o celular.

A principal vantagem dos chás em relação aos calmantes vendidos em farmácias é o fato de não causarem efeitos colaterais ou dependência. Porém, e apesar da facilidade de comprá-los sem receita médica, só devem ser utilizados sob a orientação de um médico ou um fitoterapeuta, especialmente por causa de sua dosagem: algumas destas ervas, quando consumidas em excesso, podem ser tóxicas.

Opções naturais para grávidas
Os calmantes naturais para grávidas só devem ser utilizados sob a orientação do obstetra que está realizando o pré-natal e em casos de extrema necessidade, pois podem causar efeitos colaterais ou não serem seguros para o bebê. Um bom calmante natural permitido para grávidas, já que não possui contraindicações, é o suco natural de maracujá.

Opções naturais para bebês
Chás de camomila com erva-doce são bons calmantes naturais para bebês. Além de favorecerem o sono, eles auxiliam no combate aos gases que provocam cólicas. Uma outra opção para bebês com mais de 6 meses e que já tenham iniciado a alimentação diversificada é o suco natural de maracujá. Basta bater no liquidificador a polpa de um maracujá com um copo de água, coar e oferecer à criança cerca de meio copo.

(Com informações do portal Tua Saúde)

Últimas notícias