Câmara de Goiânia faz sessão presencial para votar compra de vacinas

Casa está fechada para o público externo desde fevereiro em função da pandemia de Covid-19; acesso ao local será restrito aos vereadores

atualizado 22/03/2021 20:33

Plenário da Câmara de Vereadores de GoiâniaDivulgação/Câmara de Goiânia

Goiânia – Com atividades legislativas presenciais suspensas desde 24/2, a Câmara de Goiânia realiza sessão plenária presencial nesta terça-feira (23/3). O objetivo é votar pedido de autorização do prefeito Rogério Cruz (Republicanos) para a aquisição de vacinas por meio de consórcio entre municípios.

A convocação foi feita nesta segunda-feira (22/3) pelo presidente do Legislativo, vereador Romário Policarpo (Patriota) em atendimento a pedido de urgência feito pelo Executivo.

O plenário se reunirá em horário regimental, a partir das 9 horas, com acesso restrito aos vereadores e aos servidores que secretariam a Mesa Diretora – em cumprimento às medidas de controle da disseminação da covid-19. As galerias e tribunas do Legislativo estarão fechadas para o público externo, assessores e imprensa, também em razão dos protocolos de segurança sanitária.

O pedido de autorização foi encaminhado na quinta-feira (18/3) para apreciação dos vereadores e o objetivo da Liderança do Prefeito é aprová-lo em sessão única, tendo em vista o caráter de emergência. O Decreto de Calamidade, instituído no ano passado em função da pandemia de Covid-19, permite ao Legislativo suspender os interstícios de 24 horas previstos no regimento para a apreciação de matérias nas comissões e no plenário.

Na sessão, a Mesa Diretora também fará leitura da mensagem para conhecimento sobre a abertura de crédito adicional extraordinário de R$ 55 milhões para o Fundo Municipal de Saúde, gerido pela Secretaria Municipal de Saúde, para as ações de enfrentamento da pandemia.

Duodécimo

Na semana passada, a Câmara Municipal de Goiânia destinou R$ 5 milhões do orçamento para a Prefeitura, para a compra de vacinas contra a Covid-19. O repasse foi feito, de maneira simbólica, pelo presidente da Casa, Romário Policarpo (Patriota), ao prefeito da capital, Rogério Cruz (Republicanos).

Segundo a Câmara de Vereadores, o repasse é resultado da economia de recursos do duodécimo, participação constitucional do Legislativo no orçamento do município. Os R$ 5 milhões equivalem a 25% das receitas da Câmara de Goiânia em janeiro e fevereiro deste ano.

“A vacina é a solução definitiva para a Covid-19. Ninguém aguenta mais comércio e atividades econômicas fechadas”, afirma Policarpo.

Prefeitura de Goiânia deve ingressar na justiça para garantir que as doses que o município está negociando seja aplicada em sua própria população. O prefeito Rogério Cruz indicou essa possibilidade e adiantou que a prefeitura tem duas intenções de compra em andamento. Atualmente, doses compradas por municípios e estados devem compor o Plano Nacional de Imunização.

0
Surto de Covid-19

A Câmara Municipal de Goiânia segue o decreto da Prefeitura e determinou a continuidade das restrições para frear o avanço da pandemia na capital goiana. A casa prorrogou a suspensão das atividades legislativas e atendimentos presenciais, que deve seguir até a semana que vem.

De acordo com o Legislativo goianiense, as atividades administrativas essenciais seguem funcionando e meio período (das 7h às 13h) e em regime de escalonamento. Já o funcionamento dos gabinetes segue suspenso, bem como a sede fechada para o público externo.

As atividades legislativas presenciais da Câmara de Goiânia estão suspensas desde 24 de fevereiro, quando o Serviço Médico da Casa notificou a Mesa Diretora do aumento expressivo do número de afastamentos de servidores em decorrência de infecções por Covid-19. Naquela data, 12 funcionários de diferentes setores do Poder tinham testado positivo para doença ou apresentavam sintomas.

Logo em seguida, em 1.º de março, a Prefeitura decretou a suspensão das atividades não essenciais para conter a disseminação do vírus.

Depois de uma sequência de mortes de familiares de vereadores em decorrência da Covid-19 e do agravamento dos casos da doença na capital goiana, a Câmara Municipal de Goiânia passou uma desinfecção no início do mês. As imagens do procedimento de sanitização foram feitos pela própria empresa de limpeza, já que, por segurança, não foi autorizada a captação de imagens próprias no local.

Mortes

O vereador de Goiânia Nataniel de Sena Soares, mais conhecido como Cabo Senna (Patriota), perdeu a mãe e um irmão, no dia 10/2, ambos vítimas da Covid-19. As mortes ocorreram na capital goiana e com menos de 4 horas de diferença entre si. O óbito da idosa foi registrado durante a madrugada do dia 10; o do filho dela, durante a manhã do mesmo dia.

Dias depois, no dia 18/2, Senna também perdeu o pai para a Covid-19. Segundo a assessoria de imprensa do vereador, ao todo nove pessoas da família foram contaminadas pelo novo coronavírus. Quem estava em situação mais delicada eram Eduardo Sena, pai do vereador, e um dos irmãos, Rogério Sena, que recebeu alta no dia da morte do senhor Eduardo.

Outro vereador, Lucas Ferreira Pires Bueno, mais conhecido como Lucas Kitão (PSL), também perdeu o pai. Emival Bueno morreu por complicações da Covid-19 em 13/2, dia que completaria 64 anos.

Últimas notícias