5 produtos de limpeza para deixar a casa livre de coronavírus

O álcool gel é indicado para higienizar mãos e corpo, mas há alternativas para substituir seu uso na limpeza de casa e de objetos

atualizado 19/03/2020 17:46

Mulher de blusa xadrez limpando superfície com produto pequenoFreepik

Com o avanço do coronavírus no Brasil e no mundo, o álcool gel 70% passou a ser um dos produtos mais procurados em supermercados e farmácias brasileiras. O motivo? Ele integra o rol de itens de higiene altamente eficazes e indicados para evitar o contágio da doença. Além disso, é um dos únicos que pode ser usado na pele. Porém, se a missão for esterilizar itens pessoais e domésticos, há outras alternativas que também atuam contra a Covid-19.

Embora o vírus não sobreviva por muito tempo fora do corpo humano, ele permanece ativo por 72h em materiais como plástico e metal inoxidável; e, em papelão, 24h, em média. Os dados são da Universidade de Princeton (EUA).

Por isso, higienizar as superfícies com as quais temos contato ao longo do dia é fundamental. Para limpeza da casa, o álcool pode ser substituído. Nessas circunstâncias, quem já fez a própria reserva de álcool 70% pode considerar doar parte dele para pessoas, estabelecimentos e até mesmo hospitais que não conseguiram adquirir o suficiente até que ele sumisse das prateleiras.

“As pessoas estão preocupadas com a falta do álcool gel, mas a verdade é que ele precisa estar presente nos estabelecimentos onde água e sabão não são de tão fácil acesso. Então, se você está em casa e pode lavar as mãos com frequência, não há porque temer”, explicou a farmacêutica Catarina Gondim.

Para limpar objetos e superfícies, especialistas da Sociedade Brasileira de Infectologia indicam:

  • Água sanitária
  • Desinfetantes em geral
  • Limpadores multiuso com cloro
  • Álcool de limpeza (líquido)
  • Detergente

Lembrando que o ideal é minimizar os contatos desses produtos com à pele, para evitar alergias e dermatites. Em tempo: no corpo, o melhor método continua sendo água, sabão e álcool 70%.

Tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus: 

0

Últimas notícias