Coronavírus: aprenda a fazer álcool gel caseiro

Receita é aliada no combate à epidemia do coronavírus

atualizado 06/03/2020 19:51

Álcool gel caseiroSteven Puetzer/Getty Images

A epidemia do coronavírus aumentou a preocupação com a propagação de doenças virais e reacendeu a importância dos cuidados de higiene pessoal, entre eles, o de manter as mãos sempre limpas. Um grande aliado nessa missão é o álcool gel, capaz de eliminar 99% dos vírus e bactérias, em questão de segundos, sem a necessidade de água encanada por perto.

Cientes dessa praticidade, os brasileiros, preocupados com o avanço da doença de origem chinesa, invadiram mercados e farmácias para adquirir o produto, já em falta em estabelecimentos do país. O que poucos sabem é que uma simples receita caseira é capaz de cumprir a mesma função, muitas vezes, por preço mais acessível.

Quem garante é o naturopata Daniel Alan Costa. Especialista pelo Albert Einstein e professor de fitoterapia na Universidade de São Paulo (USP), o profissional indica uma fórmula segura e prática para fazer no conforto do lar.

“Com álcool isopropílico 90% [quanto maior a porcentagem, maior a eficiência germicida], gel puro de aloe vera e óleos essenciais, ingredientes encontrados em farmácias, é possível obter uma receita poderosa para usar em todos os momentos”, assegura Daniel.

receita caseira
De acordo com o naturopata Daniel Alan Costa, receitas caseiras de álcool gel são seguras. Além de protegerem, elas atraem por terem essência personalizada e preço mais acessível do que as encontradas em farmácias e supermercados

“Com os ingredientes em mãos, é só misturar na proporção 2/3 de xícara de álcool isopropílico para 1/3 de xícara de aloe vera em gel puro e, por fim, adicionar 10 gotas de um óleo essencial à escolha”, orienta.

Segundo ele, os óleos de tea tree, orégano e tomilho, por terem propriedades antibacterianas, antissépticas e antivirais, são os mais indicados.

O que é o coronavírus e por que é tão perigoso?
Coronavírus é uma família conhecida, desde os anos 1960, de vírus que causam doenças respiratórias – de gripe comum à Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sars) e Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers). O nome faz referência à forma do vírus, que é redondo e parece ser cercado por uma coroa.

Quais são os sintomas?
Os sintomas são os mesmos de uma síndrome gripal: febre, tosse e dificuldade para respirar. Em casos mais severos, o paciente pode apresentar também pneumonia, síndrome respiratória aguda forte e falência dos rins.

O que posso fazer para me proteger?
O que se sabe até agora é apenas que a doença é transmissível de pessoa para pessoa, provavelmente pela saliva. A indicação é lavar bem as mãos, não levá-las aos olhos e boca sem que estejam higienizadas, cobrir a boca com o antebraço quando for tossir e tomar cuidado com secreções respiratórias. Evitar contato próximo com pessoas que apresentam sintomas de doença respiratória (espirros e tosse) e observar a procedência da comida também são dicas válidas.

Últimas notícias