Veja os 10 principais fatores que podem indicar o risco de Alzheimer

Alzheimer é um tipo de demência que surge progressivamente. Os sintomas mais comuns são falhas na memória e confusões mentais

atualizado 02/03/2022 18:53

ilustração de tumor no cérebro Pixabay

A doença de Alzheimer é um tipo de demência que degenera progressivamente o cérebro. Os sintomas surgem aos poucos, inicialmente com falhas de memória e confusões mentais. Outros sinais comuns são mudanças de humor, falta de coordenação motora, incontinência urinária e apatia.

Um estudo liderado por pesquisadores da Universidade de Sorbonne, na França, identificou as 10 condições de saúde prévias que estão mais associadas ao aparecimento da doença de Alzheimer na década seguinte. Os resultados foram publicados na revista científica Lancet na última terça-feira (1º/3).

Através da plataforma The Health Improvement Network, os cientistas analisaram informações de quase 40 mil pacientes com a doença de Alzheimer na França e no Reino Unido. Os dados foram registrados entre janeiro de 1996 a março de 2020. O cruzamento de dados levou a uma lista de sinais que indicam maior risco para a doença.

Veja os 10 fatores de risco para o Alzheimer

  • Transtorno depressivo,
  • Ansiedade,
  • Estresse severo;
  • Perda auditiva;
  • Prisão de ventre;
  • Artrose;
  • Perda anormal de peso;
  • Mal-estar e fadiga;
  • Perda de memória;
  • Colapsos nervosos.

A depressão foi a primeira comorbidade associada à doença de Alzheimer, sendo diagnosticada pelo menos nove anos antes do Alzheimer. Em seguida, os resultados mostraram uma associação da doença com ansiedade, prisão de ventre e perda de peso. Ao todo, cerca de 123 condições diferentes de saúde foram comparadas.

O estudo observacional, ou seja, ele relaciona os fatores de risco para a doença a partir de estatísticas sobre o histórico médico dos pacientes. Pelos resultados, não é possível estabelecer explicações sobre causa e efeito.

Aprenda a identificar sinais de doenças neurodegenerativas em idosos

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
Publicidade do parceiro Metrópoles 7
0

Segundo os pesquisadores, se uma relação de causa e efeito direta fosse levada em consideração, condições como depressão, ansiedade, artrose, prisão de ventre, perda auditiva e estresse aumentariam a incidência de Alzheimer em 14% na França e em 18% no Reino Unido.

Associações com a doença

Para o estudo, existe uma dúvida se a depressão e a ansiedade são fatores de risco para demência, sintomas iniciais ou ambos.

O trabalho identificou ainda novos potenciais fatores de risco para a doença de Alzheimer. Um deles é a constipação, que já foi associada à depressão e identificada como sintoma em algumas doenças neurodegenerativas.

“Também encontramos uma forte associação entre artrose e o risco de doença de Alzheimer, que permaneceu significativa após a correção de outros fatores de risco identificados. Uma possível razão para esta associação pode ser o declínio na atividade física”, afirma o documento.

Os pesquisadores destacam que condições como hipertensão e diabetes, comumente citadas em outros estudos, não apareceram nos resultados dessa pesquisa. A idade média no diagnóstico de Alzheimer foi de 81 anos no Reino Unido e 80 na França. Havia mais mulheres com a doença do que homens em ambos os países.

Mais lidas
Últimas notícias