Interferon: proteína pode estar associada a casos graves de Covid-19

Produzida pelos leucócitos, a substância é essencial para evitar que o coronavírus se multiplique no organismo

atualizado 14/07/2020 16:30

Imagem-coronavírus-SarsCov2_NiaidNiaid/Reprodução

Uma pesquisa francesa publicada na revista Science nessa segunda (13/7) pode dar mais uma pista sobre como o coronavírus age no corpo humano e como detê-lo. O estudo, feito com 50 pacientes, mostrou uma deficiência em interferons nos pacientes com o quadro grave da doença.

A proteína é produzida pelo sistema imunológico para evitar que micro-organismos se repliquem. Um organismo com pouca quantidade da substância estaria mais vulnerável, portanto, à infecção.

A causa desta deficiência não foi definida, mas os cientistas relacionam comorbidades à baixa produção da proteína, assim como susceptibilidade genética.

Para os pesquisadores, a descoberta abre uma nova porta para o tratamento da Covid-19: a administração de interferon, aliada a terapias anti-inflamatórias pode ser um caminho para evitar que a infecção se intensifique.

0

Últimas notícias