Vacina contra tuberculose reduz mortes por Covid-19, sugere estudo

Pesquisa preliminar mostra que países com maiores taxas de vacinação com BCG apresentaram menores taxas de mortalidade pelo novo coronavírus

atualizado 14/07/2020 11:40

imagem de mulher segurando uma vacinaSarayut Thaneerat/Getty

Uma pesquisa preliminar, publicada na National Academy of Sciences, aponta relação direta da vacina contra tuberculose – a Bacille Calmette-Guérin (BCG) – na redução da taxa de mortalidade de Covid-19.

Liderado pelo professor assistente Luis Escobar, do College of Natural Resources and Environment, o estudo se baseou em dados de mortalidade pelo novo coronavírus de todo o mundo.

Após ajustar variáveis como renda, acesso a serviços de educação e saúde, densidade populacional e distribuição etária, a pesquisa afirma que “foi mantida uma correlação mostrando que os países com maiores taxas de vacinação com BCG apresentaram menores taxas de mortalidade por Covid-19.”

Um exemplo destacado foi a situação na Alemanha, que tinha planos diferentes de vacinação antes da unificação em 1990. Atualmente, na Alemanha Ocidental, as pessoas de 22 a 59 anos são as vacinadas, enquanto, no lado Oriental, as de 45 a 84 anos são as que receberam ao menos uma dose de BCG (a faixa mais atingida pela Covid-19 no mundo).

Uma comparação dessas duas regiões, porém, revelou que a taxa média de mortalidade nos estados da Alemanha Ocidental foram 2,9 vezes maiores do que as da Alemanha Oriental.

A relação entre a vacina BCG e casos de Covid-19 já foi objeto de outros estudos. Em abril, levantamento, feito por médicos nos Estados Unidos e no Reino Unido analisou dados de 178 nações e também sugeriu um elo considerável.

Apesar das pesquisas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) não orienta países a aplicarem a vacina como fator de proteção contra a Covid-19, por falta de comprovação científica.

O próprio autor do novo estudo, Luis Escobar, ressalta que as descobertas são preliminares e que são necessárias mais pesquisas. De acordo com ele, o intuito não é forçar uma vacinação de BCG nos países e, sim, aprofundar a discussão sobre o assunto.

Últimas notícias