Campanha contra gripe e sarampo: quem pode tomar as vacinas?

A campanha do Ministério da Saúde está dividida em duas etapas e é voltada para os públicos mais expostos e vulneráveis às infecções

atualizado 08/04/2022 17:14

Fotografia colorida de seringa de vacinaAgência Brasil

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza e o Sarampo começou em todo o país na segunda-feira (4/4) com a meta de imunizar 76,5 milhões de brasileiros até 3 de junho, nos 38 mil postos de vacinação do país.

O objetivo do Ministério da Saúde é proteger os grupos mais vulneráveis ao vírus influenza antes do início do inverno – quando as temperaturas caem e, historicamente, aumentam os casos de gripe – e ampliar a cobertura vacinal contra o sarampo, que está em surto em três estados brasileiros (São Paulo, Amapá e Paraná).

0

A campanha promovida pelo Ministério da Saúde está dividida em duas etapas. Os idosos e profissionais da saúde devem se vacinar entre 4 de abril e 2 de maio.

Na segunda etapa, será a vez das crianças com idades entre 6 meses e até 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes e puérperas, pessoas com comorbidades e deficiência permanente, povos indígenas e profissionais que correm mais risco, como professores, caminhoneiros e forças de segurança.

Vacinação contra gripe

A vacina trivalente, fabricada pelo Instituto Butantan, oferece proteção contra três cepas do vírus influenza, a H1N1, tipo B e H3N2, responsável pelo surto de gripe no início deste ano.

A infectologista Ana Helena Germoglio esclarece que mesmo as pessoas vacinadas há menos de um ano contra a gripe devem tomar a nova dose para se proteger contra as variantes emergentes do vírus.

“A vacina distribuída este ano contém cepas diferentes da formulação anterior, aumentando a proteção dessa população”, explica a especialista.

As crianças que já receberam ao menos uma dose da vacina contra influenza ao longo da vida em anos anteriores devem tomar apenas uma dose em 2022. As que serão vacinadas pela primeira vez tomarão duas doses, sendo que a segunda deve ser agendada 30 dias após a primeira dose.

Vacinação contra sarampo

A vacina contra o sarampo será aplicada exclusivamente nas crianças e nos trabalhadores da saúde – estes poderão receber uma dose independentemente da situação vacinal, ou seja, mesmo que não recordem se tomaram a vacina na infância.

As crianças deverão receber, por ocasião da campanha, uma dose da vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), independentemente da situação vacinal.

“O sarampo é uma doença que havia sido eliminada das Américas, mas tivemos dois surtos, em 2016 e 2018, e perdemos o certificado de país livre da doença devido às baixas coberturas vacinais. A eficácia das vacinas é superior a 95%, com proteção para toda a vida após as duas doses”, afirma o diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Renato Kfouri.

Veja a lista com as datas da vacinação:

1ª etapa – 4 de abril a 2 de maio:

  • Idosos com 60 anos ou mais (gripe);
  • Trabalhadores da saúde (gripe e sarampo).

2ª etapa – 2 de maio de 3 de junho:

  • Crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias) (gripe e sarampo);
  • Gestantes e puérperas (gripe);
  • Povos indígenas (gripe);
  • Professores (gripe);
  • Pessoas com comorbidades (gripe);
  • Pessoas com deficiência permanente (gripe);
  • Profissionais de forças de segurança e salvamento e Forças Armadas (gripe);
  • Caminhoneiros e trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso (gripe);
  • Trabalhadores portuários (gripe);
  • Funcionários do sistema prisional (gripe);
  • Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas (gripe);
  • População privada de liberdade (gripe).

Mais lidas
Últimas notícias