Mais de 20 milhões de crianças não se vacinaram contra sarampo em 2020

Pandemia da Covid-19 teve impacto direto na imunização contra o sarampo, o que pode abrir espaço para novos surtos, alerta OMS

atualizado 11/11/2021 17:04

vacinação de sarampo em bebêBreno Esaki/Agência Saúde DF

Em 2020, mais de 22 milhões de crianças não tomaram a primeira dose da vacina contra o sarampo em todo o mundo. As informações são de relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) junto ao Centro dos EUA para Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

O número é 15% maior do que o registrado em 2019, e acende um alerta: são os maiores indicadores em duas décadas, o que aumenta as probabilidades de novos surtos da doença. O relatório admite, porém, que os casos notificados de sarampo foram 80% menores em relação aos anos anteriores.

“Um grande número de crianças não vacinadas, surtos de sarampo e detecção e diagnóstico de doenças desviados para apoiar as respostas à Covid-19 são fatores que aumentam a probabilidade de mortes relacionadas ao sarampo e complicações graves em crianças”, alertou Kevin Cain, diretor de Imunização Global do CDC.

Além da redução no número de crianças que tomaram a primeira dose, apenas 70% das que tomaram o imunizante completaram o esquema vacinal com a segunda dose. O recomendado é atingir 95% de cobertura vacinal para eliminar a propagação da doença.

A pandemia da Covid-19 também atrasou a execução de campanhas contra o sarampo em 23 países. A OMS ressalta que o vírus do sarampo é um dos mais contagiosos do mundo. De acordo com a organização, mais de 30 milhões de mortes pela doença foram evitadas nos últimos 20 anos por meio da vacinação.

Mais lidas
Últimas notícias