Português O Tuga se destaca com delícias de bacalhau e polvo na brasa

Aberto na pandemia como um drive-thru próximo à Ponte JK, restaurante português agora funciona no shopping CasaPark

atualizado 27/05/2022 13:42

Na foto, bacalhau e polvo com ovo, azeitonas, brócolisDivulgação

Sem dúvida, a pandemia gerou uma necessidade de reinvenção, que afetou não somente àqueles que perderam seus empregos, mas também a empresários que viram seus negócios perderem contratos e clientes.

O português Antônio Barrigana, por exemplo, trabalhava com fornecimentos de ar-condicionado para empreendimentos imobiliários e grandes empresas. De repente, com o lockdown, o movimento foi quase a zero. Foi aí que ele foi para a rua, literalmente, mostrar um pouco de sua cultura e de seu talento como cozinheiro. Na descida da Ponte JK, ele montou um drive-thru de bacalhau e polvo na brasa. O sucesso foi quase imediato. Confinados em casa, moradores do Lago Sul e proximidades logo reconheceram a qualidade da comida servida ali.

Com a reabertura dos restaurantes, a casa também passou a atender presencialmente, com mesinhas dispostas embaixo de uma estrutura meio que improvisada, mas, ainda assim, agradável. Estive lá uma vez e fiquei bem impressionada com a comida, preparada com insumos de alta qualidade. Ali, o negócio funcionou até dezembro de 2021 para que o empresário tivesse fôlego para tocar a obra, que acaba de receber O Tuga no shopping CasaPark.

Aliás, devo fazer aqui um elogio explícito à família Valença, que tem escolhido a dedo empreendimentos gastronômicos muito bacanas para compor o mall. Muito acertada a estratégia de atrair para lá quem gosta de comer bem e confiar a missão a negócios de sucesso, como o Chicago Prime, Saborella e o Acervo Café, e a chefs competentes como Gil Guimarães e Marco Espinoza, que aportaram por lá com a Casa Baco e o Kinjo.

Voltando ao Tuga, ele ocupa um espaço no térreo que, até então, não era utilizado. O lugar virou uma grande varanda, com uma “caixa” onde funciona a cozinha envidraçada. Da mesa, é possível ver os nacos de bacalhau e os tentáculos de polvo sendo preparados. Creio que o local vai fazer sucesso entre aqueles que ainda preferem frequentar espaços mais arejados. Ficou charmoso e convidativo, inclusive, para aquele almoço mais prolongado e preguiçoso aos fins de semana e para uma cervejinha ao fim do expediente.

Menu

O cardápio da casa é composto basicamente pelos pratos que já faziam sucesso na rua. Em minha visita, fui de bolinho de bacalhau. O petisco pode ser pedido por unidade (R$ 10) ou em porções com sete (R$ 65). Em forma de bastão, é bem molhadinho e tenro.

Depois fui de Camarão à Moçambique (R$ 62). Os crustáceos são refogados no azeite e temperados com alho e páprica, e vêm escoltados por rodelas de pão de boa qualidade. Gostei da textura e do sabor, levemente apimentado. Merecia um com vinho branco ou rosé para acompanhar. No rol das entradas, ainda figuram uma de Gadus Morhua desfiado (R$ 52), a linguiça portuguesa, preparada com carne suína, especiarias e ervas finas (R$ 45) e três burratas, sendo uma delas sem lactose (entre R$ 39 e R$ 55).

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

As estrelas dos principais são o polvo (R$ 169) e o bacalhau (R$ 168), ambos “à lagareiro”, ou seja, acompanhados por brócolis, batatas ao murro, e finalizados com alho e azeite extravirgem. Estes pratos são individuais.

Para compartilhar, a carta exibe o bacalhau à Gomes de Sá na telha, com cama de cebola, batata, tomate, ovo, brócolis, alho e azeitonas portuguesas. Sai a R$ 360 para duas pessoas ou a R$ 490, para três comensais.

Mais em conta é a brandade envolta em massa folhada, servida com salada de rúcula e tomate cereja (R$ 119) e os arrozes de pato (R$ 75) ou de bacalhau (R$ 69). Nos dias de semana, eles compõem o menu executivo, com um bolinho de entrada e um pastel de Belém como sobremesa. Falando em doce, me surpreendeu o Natas do Céu (R$ 26), um creme de claras com uma farofinha de biscoito de maizena e uma cobertura de gemas. Delicada e saborosa.

Para beber, a casa serve sangria, em taça de 500ml (R$ 44) ou jarra de um litro (R$ 74), cervejas e vinhos, essencialmente, portugueses, entre R$ 42 e R$ 399.

Serviço:

O Tuga
Shopping CasaPark, térreo, em frente à Cobasi
Funciona aos domingos, das 12h às 18h, segunda, das 12h às 16h, e de terça a sexta, das 12h às 22h.
Telefone: 98627-1122
Instagram: @o_tuga.df

Para mais dicas de gastronomia, siga @lucianabarbo no Instagram

Mais lidas
Últimas notícias