DF: presa dupla que assassinou homem e tentou matar filho dele em bar

Crime ocorreu após vítimas discutirem com autores em distribuidora de bebidas do Pôr do Sol, em Ceilândia

DivulgaçãoDivulgação

atualizado 21/08/2019 18:14

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu, nesta quarta-feira (21/08/2019), duas pessoas acusadas de matar a tiros um homem após discussão em distribuidora de bebidas da Quadra 402 do Pôr do Sol, em Ceilândia. O crime ocorreu em 1º de maio deste ano. Na oportunidade, o filho da vítima também ficou ferido com os disparos, mas se recuperou.

De acordo com a PCDF, no dia, Samuel Ribeiro Guedes, 43 anos, estava no bar na companhia de Rilton Bruno de Almeida, 34, e de sua irmã, Carla Fabiane de Almeida, 30. Durante a noite, o trio teria se desentendido com Wadaney Darling Alves, 49, e seu filho de 23 anos, não identificado pela corporação, dando início a uma confusão generalizada.

Após trocarem agressões e insultos, pai e filho tentaram deixar a distribuidora, mas foram seguidos pelo trio. Segundo a Polícia, nesse momento, Samuel teria puxado uma arma e disparado contra as vítimas, atingindo-as. Mesmo ferido, Wadaney chegou a se levantar e conseguiu tomar a arma do homem, mas recebeu uma facada de Carla e um mata-leão de Rilton. Depois de cometerem o crime, os suspeitos fugiram do local.

Wadaney chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu e morreu no Hospital Regional de Ceilândia (HRC). O filho, por sua vez, recebeu ajuda de populares e se recuperou dos ferimentos. Rilton foi localizado e preso por agentes da 23ª Delegacia de Polícia (P Sul) poucos dias após o crime, mas Carla e Samuel continuavam foragidos até esta quarta, quando foram localizados pela PCDF em uma residência de Ceilândia.

“Eles tiveram a prisão preventiva decretada pelo Tribunal do Júri de Ceilândia no dia 23 de maio, mas continuavam foragidos da Justiça. Soubemos do paradeiro da dupla através de denúncia anônima. Há alguns dias, denunciante nos relatou ter visto Carla deixando sua filha em uma van escolar. Passamos a monitorá-los e chegamos ao local onde o casal estava se escondendo”, explicou o delegado adjunto da unidade, Maurício Iacozzilli.

Últimas notícias