Este é um espaço para celebrar a vida e as pessoas. Viaje comigo nesta aventura!

Olheiras: médica Caroline Anjo dá dicas para amenizar o problema

A especialista em dermatologia explicou as causas, os tipos e tratamentos indicados para as olheiras. Caroline sugeriu receitas caseiras

atualizado 12/02/2021 11:19

Olheiras e médica Caroline AnjoCoffeeAndMilk/Getty Images/Caroline Anjo/Imagem cedida ao Metrópoles

Acordar e caminhar em direção ao espelho mais próximo. Ao se olhar, dizer: “O tamanho das minhas olheiras”. Já aconteceu com você? De fato, dormir mal é um dos motivos para o surgimento das marcas profundas na área dos olhos. No entanto, as indesejáveis manchas também dão as caras por razões genéticas, estruturais, vasculares, excesso do depósito de pigmentos e devido a alergias. Fica a dica: ao coçar exageradamente a região, você também irrita a pele e pode até romper vasos sanguíneos, deixando-a mais escura.

Avaliadas como inconvenientes, as olheiras não são mais um grande problema, tendo em vista o leque de produtos à disposição nas prateleiras de farmácias, lojas de cosméticos e até supermercados. Entretanto, deve-se ficar de olhos bem abertos para não cair em armadilhas e, quem sabe, agravar as marcas. Para saber como acabar de vez (ou temporariamente) com as manchinhas, a coluna Claudia Meireles conversou com a médica Caroline Anjo, pós-graduada em dermatologia. Ela atende na BelaBia Centro de Estética, fixada no Brasília Shopping.

Tipos

Há três tipos de marcas na área dos olhos: vasculares, pigmentadas e estruturais. De acordo com a especialista, as primeiras ocorrem por causa da superficialização dos capilares sanguíneos: “Esses vasinhos ficam bem próximos ao meio externo e fazem com que possamos visualizar o sangue abaixo da pele dando esse aspecto arroxeado das olheiras”. Com coloração mais amarronzada, o segundo tipo decorre do depósito de pigmento do sangue e de melanina na região.

Médica Caroline Anjo
A médica Caroline Anjo é formada pela Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo

A médica explica que as marcas estruturais são consideradas mais profundas. “Criam níveis, fazendo com que uma região aparente ser mais escura. Porém, é só uma questão de sombra, formada pela depressão estrutural e genética”, elucida. Certamente, após essa “aula” sobre as manchas e a diferença de tons, você avaliou qual a sua olheira. Segundo a expert em dermatologia e estética avançada pelo Instituto BWS, a maioria das pessoas tem mais de um tipo.

“Normalmente, são dois ou até três tipos de olheiras em uma só pessoa. Por isso, é tão importante um diagnóstico médico para que o tratamento gere os resultados esperados em cada paciente”, endossa Caroline. Segundo a especialista, o mercado dispõe de produtos que ajudam a cuidar das marquinhas, principalmente das pigmentadas e vasculares. No último caso, as fórmulas capazes de atenuar as manchas apresentam potencial de drenagem local e agem nos vasinhos da região.

No caso das pigmentadas, a médica indica cremes com ativos clareadores que possam ser usados na área dos olhos. Contudo, somente um diagnóstico profissional mostrará a terapêutica mais eficaz para determinado tipo de olheira a fim de gerar efeitos satisfatórios. Caroline deixa o lembrete de hidratar a região com fórmulas faciais ou específicas, pois amenizam as marcas indesejáveis.

Tratamento olheiras
Caroline recomenda procurar um especialista para diagnosticar o tipo de olheira
Tratar no consultório

Com o avanço da medicina estética, há uma variedade de procedimentos para tratar das olheiras. “Podemos utilizar lasers com intuito de suavizar as manchas resultantes tanto dos vasos quanto dos pigmentos”, ressalta Caroline Anjo. O preenchimento com ácido hialurônico é a principal terapêutica para quem dispõe de marcas mais profundas, ou seja, as estruturais. Quando recomendado por um especialista, o método restabelece bastante a área e tem duração de, em média, 1 ano.

“Precisamos ter cuidado ao indicar o preenchimento com ácido hialurônico, pois caso a olheira não seja estrutural, o procedimento poderá colocar o pigmento escurecido ou o arroxeado mais em evidência, agravando-as em vez de melhorá-las”, alerta a pós-graduada em dermatologia. Ela explica como é realizada a técnica com o ativo: “Utilizamos o preenchimento para minimizar o degrau formado pela alteração estrutural local que causa a sombra escura das olheiras”.

Caso tenha olheiras pigmentadas, quem recorre aos benefícios do peeling tende a tratar as marquinhas inconvenientes. Os ácidos aplicados durante a técnica estética amenizam as manchas com coloração mais arroxeada, destaca a médica formada pela Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo. Após o diagnóstico, o especialista pode também fazer uma combinação de procedimentos com objetivo de garantir o resultado ideal. O combo é proposto aos pacientes com mais de um tipo de olheira.

Mulher com olheiras
Segundo médica, a maioria das pessoas tem mais de um tipo de olheiras
Funciona ou não?

Uma visitinha à farmácia e eis a questão: comprar ou não as máscaras que reduzem as olheiras? De acordo com a médica, grande parte desses produtos trazem propriedades hidratantes e promovem a melhora da circulação sanguínea. “Ajudam a densificar a pele e suavizar momentaneamente a aparência das olheiras”, atesta a pós-graduada em dermatologia. Ela orienta usar os itens no máximo uma vez por semana e avisa sobre as máscaras não resolverem o “problema” definitivamente.

Quem possui receitinhas na ponta da língua para aliviar as marcas nos olhos são as vovós. Filhos e netos desconfiam das sugestões, mas segundo Caroline, vale investir nas bolsas de chá geladas, rodelas de pepino, fatias de batatas e no óleo de coco. “Não precisamos ignorar essas preparações caseiras. Como não são tratamentos definitivos, aconselho sempre associá-los com os métodos dermatológicos”, instrui. As “táticas” funcionam por ativarem a circulação, hidratarem a pele e reduzirem a inflação e os inchaços matutinos.

Máscaras olheiras
A especialista usa as máscaras uma vez por semana

“Toda receita caseira relacionada a colocar algo frio, gelado ou calmante tende a estimular a drenagem na área das olheiras. Noites bem dormidas auxiliam a descongestionar os vasos na região, melhorando seu aspecto no dia seguinte. Quando dormimos mal, a circulação fica prejudicada e, consequentemente, os vasinhos surgem com calibre aumentado. Outro efeito consiste na coloração mais arroxeada. Como a pele abaixo dos olhos é fina, o tom fica em evidência”, explicou Caroline Anjo.

Além da hidratação oral, ou seja, beber bastante água, os alimentos também são bons aliados contra as manchas, de preferência os que tiverem potencial anti-inflamatório e antioxidante. “Auxiliam na redução do aspecto das olheiras, enquanto a hidratação oral e tópica deixa a pele mais densa e minimiza as marquinhas”, enfatiza a especialista com consultório na Clínica BelaBia.

Mitos

Não faltam receitas milagrosas de combate às olheiras na internet. Algumas incluem leite, café e óleos. Segundo a médica, as dicas são verdadeiros mitos. Há, ainda, quem recomende aplicar as pomadas Bepantol e Hipoglós nas manchas. Na avaliação de especialista em estética avançada, as fórmulas não têm efeito sobre as marcas, apenas hidratam a área abaixo dos olhos. Ela sugere investir em cremes específicos para a região e tipo de pele. “Hipoglós e Bepantol são pomadas densas e oleosas. Pacientes com tendência à acne não se beneficiarão. Pelo contrário, pode piorar o aspecto”, conclui.

Mulher coça os olhos
Cuidado ao coçar os olhos, pois pode irritar a pele e agravar as olheiras

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Últimas notícias