Coach dos famosos, Jay Shetty ensina como ter uma vida mais significativa

O guru de autoajuda é sucesso entre as celebridades e CEOs, e já bateu papo com Gisele Bündchen e Khloe Kardashian em podcasts

atualizado 16/10/2020 12:56

Jay Shetty Noam Galai/Getty Images

Disciplinados, zens e iluminados são algumas das características associadas à personalidade dos monges. A palavra significa “pessoa que faz votos religiosos e retira-se da vida mundana”. Foi o que fez Jay Shetty, guru de autoajuda que é sucesso entre as celebridades e CEOs. Ao longo de três anos, o britânico acordou às 4h da manhã, meditou até 8h por dia e prestou assistência em comunidades indianas. Apesar da experiência ter sido gratificante, o coach ouviu o chamado de que precisava seguir o seu propósito: compartilhar sabedoria.

De volta para casa, o ex-monge aplicou os aprendizados no mundo real. “Minha missão é fazer com que a sabedoria torne-se viral de uma forma acessível, relevante e prática”, disse em seu podcast, batizado de On Purpose. A plataforma multimídia é considerada a número um do mundo no quesito saúde, com 64 milhões de downloads. No programa, ele conversa com “algumas das pessoas mais perspicazes do mundo”.

Já bateram papo com o guru a modelo Gisele Bündchen, o saudoso jogador de basquete Kobe Bryant e a empresária Khloe Kardashian. Com milhões de ouvintes, em alguns episódios os poderosos compartilham hábitos até então secretos.

Os olhos e ouvidos de magnatas, celebridades e pesquisadores estão voltados a Jay Shetty. Mas, fica o questionamento: qual o segredo para tanto sucesso? Eis a resposta dada pelo coach: “Quero ajudar as pessoas a encontrarem tranquilidade, propósito, paz e clareza em sua vida diária, adotando a mentalidade que os monges desenvolveram ao longo de milhares de anos”, contou Shetty em entrevista ao The Guardian via Zoom. Em palestras, o guru de autoajuda sempre afirma que deve todas as conquistas às lições aprendidas como monge.

Jay Shetty
Shetty como monge e atualmente
Jogo virou

Ao retornar, o ex-monge voltou morar com os pais e havia acumulado uma dívida de US$ 25 mil dólares. A situação o deixou deprimido. Ele decidiu, então, procurar um emprego. Entretanto, Shetty foi rejeitado por 40 empresas. Inclusive, não quiseram contratá-lo por ter adicionado ao currículo, na parte de experiências, a frase: “Serviu como monge por três anos”. O sentimento de incompetência ganhou maiores proporções após conseguir um trabalho corporativo e sentir-se insatisfeito.

“Eu trabalhava 80h por semana, mas sentia não atingir todo o meu potencial. Sabia que tinha mais a oferecer ao mundo e queria servir. Dez empresas de mídia me rejeitaram quando apresentei a eles minhas ideias de vídeo baseadas em mindfulness. Três executivos de mídia me disseram que eu era muito desqualificado e velho para ter uma carreira nessa área”, recordou o guru. Persistente, ele não desistiu e mostrou que o jogo virou a quem fechou a porta em sua cara.

0

Sensação da internet, os números do coach no meio digital impressionam. No Instagram, ele coleciona 7,1 milhões de seguidores e, no canal do YouTube, 3,6 milhões de inscritos. Já no Facebook, o conteúdo postado diariamente é acompanhado por 27 milhões de usuários. Na página, um vídeo chega a 11 milhões de visualizações, ficando entre os mais assistidos da rede social. Entre os admiradores do guru, estão personalidades conhecidas da coluna Claudia Meireles. É o caso do neurocientista Andrew Huberman, da palestrante Mel Robbins e da apresentadora Oprah Winfrey.

No ponto de vista de Jay Shetty, viver como monge era o período das aulas escolares e, os obstáculos dos últimos sete anos, as provas. Contudo, quem deseja encontrar o próprio propósito deve administrar a negatividade, construir uma verdadeira confiança e superar os medos. Uma das suas afirmações mais importantes é: “Eu não posso fazer seus problemas desaparecerem, mas posso dar-lhe as ferramentas para superá-los”.

Jay Shetty
O coach aprendeu lições de vida com os monges e ensina
Páginas da vida

Em setembro, Shetty lançou o livro Pense como um monge. O título foi um dos mais cobiçados da Feira de Londres e é dividido em três capítulos, sendo eles, Let Go, Grow and Give (Solte, Crescer e Doar, respectivamente, em tradução do inglês). O autor compartilhou as experiências vividas entre os religiosos e a aplicabilidade da sabedoria milenar no mundo moderno. A publicação engloba como bônus dicas sobre meditação, técnicas de respiração e cantos de mantras. “Pensar como um monge é fazer conexões”, afirmou ao The Guardian.

Jay Shetty
Livro de Jay Shetty. O título será lançado no Brasil no segundo semestre pela editora Sextante

Juntas, as táticas presentes no livro para alcançar uma vida mais gratificante surtiram efeitos no sistema imunológico do famoso guru de autoajuda. “O humor e a qualidade do sono melhoraram”, segundo revelou. Dominar a mente não somente o deixou mais calmo, além disso, auxiliou no controle da negatividade e a superar o pensamento excessivo. Se algumas pessoas veem a disciplina como algo ruim, Shetty analisa como uma força propulsora de causar impacto.

Como já foi tema de outras reportagens da coluna, a meditação não se fundamenta apenas como prática. Os benefícios suscitam autoconfiança, foco e clareza na tomada de decisões. A atenção plena transformou-se em um modo de vida do coach britânico. Já a empatia, foi responsável por melhorar todos os relacionamentos, seja no campo profissional, seja no pessoal. Por exemplo, o casamento com Radhi Devlukia Shetty, desde 2016.

Jay Shetty e Radhi Devlukia Shetty
O casal Jay e Radhi Devlukia
Passo a passo de como encontrar mais sentido na vida

O britânico ainda apresenta um programa matinal no The Huffington Post, chamado de HuffPost Rise. Afinal, quanto mais formas de expandir os ensinamentos, melhor. Agora que você já adquiriu toda a segurança e confiança de Shetty, aprenda, a seguir, 12 maneiras de como alcançar uma vida mais gratificante, feliz e significativa, conforme ele compartilhou com a marca Redbull:

1. A primeira coisa a se fazer é investir no autoconhecimento, ou seja, prestar mais atenção em si mesmo. Observe o seu comportamento e questione: Quem sou eu? Por que estou aqui? Qual é a minha tarefa na vida? Estou realmente levando a vida que quero levar? Do que eu gosto e não gosto? No que eu acredito? Respostas para essas perguntas, segundo o coach, podem ser encontradas em sites, artigos, podcasts, palestras e em conversas com outras pessoas. O importante é ir atrás e pesquisar!

2. O segundo passo é a inspeção. Analise sua vida da mesma forma que você revisa seu carro. Vale refletir sobre pontos enferrujados que precisam de ajuste: o que consome a maior parte do meu tempo? O que consome mais energia? Com que eu mais gasto dinheiro? Com quem eu passo meu tempo livre? Por fim, identifique se está feliz com tudo isso. A dica é escrever tudo em um papel e começar pela última semana, já que a memória está mais recente. É importante questionar o que você conquistou nos últimos sete dias, se está satisfeito com isso ou não e se poderia ter feito algo para que tudo tenha sido mais significativo.

3. Assumir o controle e não esperar por milagres é outra dica de Jay Shetty. Ele acredita que ninguém aparecerá magicamente e tornará as nossas vidas maravilhosas. Esse é nosso trabalho! Depois de aceitarmos que somos responsáveis pela nossa própria felicidade, logo veremos que decidimos com quem vamos nos relacionar. Aqueles que desejam alcançar algo tendem a atrair pessoas que os apoiam. Se aspirarmos ser felizes e levar uma vida significativa, devemos nos cercar de pessoas que estão de acordo com esses valores.

4. Está na hora de definir uma meta e saber qual é a sua visão e a direção que você vai seguir, ouvindo o coração e tendo coragem de ouvir a intuição.

5. Além de estudar como atingir objetivos, é importante se perguntar quais hábitos você precisa desenvolver, praticar e automatizar para chegar lá. Mudar hábitos é uma etapa difícil, mas existem quatro truques: ser grato e compartilhar isso com os outros; ler, ouvir e assistir conteúdos motivadores; meditar ou passar um tempo sozinho com pensamentos em silêncio todos os dias; e ser ativo, praticar esportes, dançar ou se mexer.

6. Ser crítico e honesto consigo mesmo é uma forma de analisar o quanto você está progredindo no caminho para a felicidade. Mas a autorreflexão deve ser saudável e equilibrada. Para reconhecer o próprio fracasso, por exemplo, requer coragem. Pense: que marcos você alcançou? O que não está avançando? Por quê?

7. Para ter uma vida melhor, faça escolhas certas todos os dias e repita os rituais de felicidade dia após dia. O truque é combinar esses hábitos com outros já fortes e existentes, como o café da manhã. Medite após cada café da manhã, ou leia após o almoço. Esses são exemplos de como unir os hábitos.

8. Desafie a si mesmo, principalmente por estar está satisfeito. Se fizer isso no nível correto, evitará o tédio e o estresse.

9. Elabore um cronograma, tome nota de como o tempo foi gasto na última semana e reflita se as ações influenciam em seus valores. Procure encontrar as causas de sua procrastinação. Não deixe de avaliar o progresso a cada três meses, como as empresas fazem internamente.

10. Seja como um adolescente e desperte curiosidade. Ainda, pergunte a si mesmo o que te deixa animado e o que te deixa apaixonado. Dê muita importância para esse ponto.

11. Perceba seus talentos experimentando qualquer atividade, como um seminário de fim de semana ou um curso para iniciantes. Depois veja se gostou e o que aprendeu. Pequenas atitudes levam ao objetivo final.

12. Ajude os outros a serem mais felizes e reconheça o quanto é gratificante servir!

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Últimas notícias