Rolou na 6ª: dia de recuos na Segurança e no imposto do pecado

MPF quer que a Justiça Federal determine a suspensão das inscrições e do calendário 2020 do Sisu, Prouni e Fies

Alan Santos/PRAlan Santos/PR

atualizado 24/01/2020 20:00

Nesta sexta-feira (24/01/2020), depois de admitir que poderia dividir o Ministério da Justiça da Segurança Pública em duas pastas, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recuou: para ele, a chance disso ocorrer “é zero”. A declaração foi feita em viagem oficial à Índia.

“O Brasil está indo muito bem. Os números indicam que a segurança pública está indo no caminho certo. A minha máxima é: em time que está ganhando, não se mexe”, sinalizou.

Leia mais:

E ao desembarcar na Índia, Bolsonaro disse ser contrário ao aumento do “imposto do pecado”, que incidiria sobre produtos que podem fazer mal à saúde, como cigarro, cerveja e aqueles com excesso de açúcar.

A ideia foi ventilada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

O presidente descartou qualquer aumento na tributação. “Aumento de imposto para cerveja não”, disse Bolsonaro ao desembarcar em Nova Délhi.

Confira:

Também foi notícia:

Últimas notícias