Bolsonaro chega à Índia e reclama de críticas: “Calma, pessoal”

Presidente pediu paciência em relação a propostas da gestão que, segundo ele, estão em fase de “gestação” ou "em estudo”

MANISH SWARUP/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOMANISH SWARUP/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 24/01/2020 10:49

Ao chegar na manhã desta sexta-feira (24/01/2020) a Nova Delhi, na Índia, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reclamou das críticas que o governo vem recebendo no Brasil. O chefe do Executivo pediu calma em relação a propostas da gestão que, segundo ele, estão em fase de “gestação” ou “em estudo”.

Bolsonaro não chegou a mencionar sobre quais propostas se referia, mas tem enfrentado resistência de apoiadores do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, sobre intenção de desmembrar a pasta. Ao desembarcar em Nova Delhi, o presidente recuou e disse que a chance de dividir os ministérios “é zero”.

“Faço um apelo ao pessoal do Brasil, a gente acompanha o que acontece, apesar de a internet no avião ser muita fraca, é impressionante como as pessoas escrevem coisas da cabeça, assim, sem qualquer fonte, sem qualquer origem, e partem de forma agressiva nos comentários. Calma, pessoal”, disse o presidente em um vídeo divulgado pelo Facebook.

“Tem muita gente melhor do que eu, tem milhões de pessoas melhores do que eu. Agora, até acabarmos nosso mandato em 22, temos que trabalhar com um só objetivo: a verdade acima de tudo, melhorar o que por ventura não está dando certo, fazer críticas construtivas. E não espera que eu esteja 100% contigo, nem no casamento dá 100%”, afirmou.

O presidente comparou a calorosa recepção que disse ter recebido na Índia, com o ambiente considerado por ele hostil no Brasil. Sem citar o nome de Moro em todo vídeo, o presidente aproveitou para dizer que “todos os ministros são iguais”.

“A recepção para nós aqui foi a melhor possível. As rodovias estão todas com cartaz nosso, com saudação ao nosso governo. Eu digo para vocês que a confiança em nosso país recuperou muito. Agradeço aos nossos ministros que incessantemente trabalham com esse objetivo”, comentou.

Últimas notícias