Rolou na 4ª: radares voltam, juros caem e Bolsonaro faz exame

A ativista sueca e "pirralha" Greta Thunberg é eleita personalidade do ano pela revista Time. Bolsonaro diz que ela faz "showzinho" na COP25

Foto: Rafaela Feliciano/MetrópolesFoto: Rafaela Feliciano/Metrópoles

atualizado 11/12/2019 23:06

Nesta quarta-feira (11/12/2019), a Justiça Federal determinou a suspensão da medida administrativa que barrou o uso de radares móveis em estradas. O magistrado deu 72 horas para que o sistema de fiscalização eletrônica volte à ativa.

Na decisão, o juiz Marcelo Gentil Monteiro, da 1ª Vara Federal, em Brasília, pediu que a União se abstenha de praticar atos “tendentes a suspender, parcial ou integralmente, o uso de radares estáticos, móveis e portáteis”. A suspensão havia sido determinada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), em agosto deste ano.

Confira:

Também nesta quarta, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central reduziu, de forma unânime, a taxa de juros básica, conhecida como Selic, dos atuais 5% para 4,5%. Esse é o valor mais baixo de toda a série histórica, iniciada em junho de 1996.

A decisão dá continuidade a uma sequência de três quedas registradas neste ano. O atual ciclo de redução dos juros começou em julho.

Veja:

Ainda nesta dia, o presidente Jair Bolsonaro realizou exames para detectar um possível câncer de pele e reclamou de estafa, ao chegar ao Palácio da Alvorada, no início da noite.

“Estou bem de saúde, a questão é a rotina. É questão de estafa. Eu sabia que não ia ser fácil. Espero que vocês [jornalistas] colaborem, não comigo, mas com o Brasil. Tem também possível câncer de pele. Foram dar uma checada em mim. Inclusive, não sou eu que peço. Muitas vezes eles me convocam e eu vou para lá”, afirmou.

Leia:

Outras notícias:

Últimas notícias