metropoles.com

STJ garante “revisão da vida toda” no cálculo da aposentadoria

Com a mudança de parâmetro, beneficiários do INSS podem pedir que benefício considere vencimentos anteriores a 1994, ano do Plano Real

atualizado

Compartilhar notícia

Marcos Santos/USP Imagens
previdencia-social
1 de 1 previdencia-social - Foto: Marcos Santos/USP Imagens

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu por unanimidade, nesta quarta-feira (11/12/2019), que os beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) poderão pedir a revisão com base nos salários de contribuição da vida toda. Assim, mesmo os vencimentos anteriores a 1994, quando foi instituído o Plano Real, poderão ser considerados no cálculo da aposentadoria.

Até 12 de novembro deste ano, a regra seguia a reforma previdenciária de 1999 e a média era calculada com base em 80% dos maiores salários, contados a partir de julho de 1994.

Na prática, apenas valores contabilizados em real entram na conta – assim, quem começou a contribuir a partir de 1999 tem direito a ter todos os seus salários utilizados na conta, ao contrário dos demais.

A regra mudou no início de novembro após a aprovação da reforma da Previdência. Com a Emenda Constitucional 103, que a instituiu, ficou definido que a média considera 100% dos salários desde 1994, o que reduz o salário possível, por não mais descartar 20% dos menores salários.

A decisão sobre o tema 999 permite que o trabalhador opte pelo sistema de cálculo mais favorável. Segundo o advogado especialista em Direito Previdenciário João Badari, muitos deles tiveram as maiores contribuições, ou seus maiores salários, antes de 1994, o que “ocasionou muito prejuízo”.

“Há pelo menos 1.927 ações com esse tipo de pedido, mas o número deve ser maior, já que a maioria dos tribunais e das varas federais não informam o total de casos paralisados sobre o tema. Mas a Justiça já vinha reconhecendo este direito”, afirmou.

Em outubro do ano passado, os ministros da Primeira Seção decidiram que o assunto seria tratado de maneira geral. Assim, foram suspensos todos os demais processos sobre o tema e, agora, a decisão serve de parâmetro para todos eles – ainda cabe, contudo, revisão no Supremo Tribunal Federal (STF).

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações