Bolsonaro não se compromete com lista tríplice para PGR ao recebê-la

Entrega foi feita na tarde desta sexta-feira pelo presidente da ANPR, em reunião que incluiu o ministro da Secretaria-Geral

atualizado 05/07/2019 17:59

Rafaela Felicciano/ Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) recebeu, oficialmente, na tarde desta sexta-feira (05/07/2019), a lista tríplice para a Procuradoria-Geral da República (PGR). O método que será usado pelo chefe do Executivo federal para a escolha do futuro chefe do Ministério Público Federal (MPF), no entanto, continua indefinido

A entrega foi feita pelo presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), Fábio George Cruz da Nóbrega, em reunião com a participação do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Antônio de Oliveira Francisco.  

Os escolhidos para compor a lista, em eleição realizada no dia 18 de junho, são o subprocurador-geral Mário Bonsaglia (que teve 478 votos dos colegas), a subprocuradora-geral Luiza Frischeisen (423 votos) e o procurador regional Blal Dalloul (422 votos).

“O que ele [Bolsonaro] disse, de maneira muito clara, é que está pensando, que acha que é um dos cargos mais importantes da República e que, sem pressa, vai fazer a análise da lista. Reconhece a lista como uma lista que legitima a chefia perante os membros da nossa instituição”, relatou o procurador, após o encontro.  

Bolsonaro deixa em dúvida se a escolha do novo PGR será feita a partir da lista tríplice e não descarta a recondução da atual ocupante do cargo, Raquel Dodge, que não participou da eleição. “Todo mundo pode. Todos que estão dentro ou fora da lista. Tudo é possível. Eu vou seguir a Justiça”, declarou o presidente, no dia 18 de junho.

Segundo o procurador Fábio George Cruz da Nóbrega, nesta tarde, o presidente da República “não disse nem que sim nem que não” sobre a escolha de um dos três nomes mais votados.

Últimas notícias