Polícia de Niterói investiga ameaças de morte à vereadora Benny

Benny Briolly, vereadora trans mais votada do PSol em Niterói, decidiu sair do país por causa das ameaças recebidas

atualizado 14/05/2021 20:16

Benny BriollyDivulgação

Rio de Janeiro – A Polícia Civil informou, nesta sexta-feira (14/5), que a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Niterói investiga as ameaças de morte contra a vereadora trans Benny Briolly, do PSol. Em nota, o órgão informou que “o inquérito foi encaminhado ao Ministério Público, que remeteu novamente à unidade policial para outras diligências. “A investigação segue em andamento para identificar a autoria do fato”.

Em live com membros do partido, nesta sexta-feira (14/5), Benny afirmou que recebeu ameaças como “Ronnie Lessa vai te pegar, cuidado com a metralhadora”. Lessa está preso acusado das mortes da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em 14 de março de 2018. Segundo a parlamentar, as ameaças chegaram por cartas, redes sociais e até dentro da Câmara Municipal.

“É preciso medidas urgentes das autoridades de segurança para que Benny Briolly exerça seu mandato, garantido pela soberania popular”, afirmou o prefeito de Niterói, Axel Grael (PDT), em uma rede social. Por conta das ameaças, Benny saiu do país e, segundo a executiva do partido, vai participar das sessões plenárias por videoconferência. 

0

Últimas notícias