Benny Briolly acusa vereador de agressão: “Transfobia e racismo”

Agressão teria ocorrido após Benny discursar contra ações de Douglas Gomes na Comissão de Direitos Humanos, da Criança e do Adolescente

atualizado 26/03/2021 11:11

Primeira vereadora transDivulgação/Redes Sociais

A vereadora Benny Briolly (PSol-RJ) acusou, nas redes sociais, o vereador Douglas Gomes (PTC-RJ) de agredi-la verbalmente, na quinta-feira (25/3), durante reunião do Comissão de Direitos Humanos, da Criança e do Adolescente, da Assembleia Legislativa de Niterói (RJ).

A agressão teria ocorrido após Benny discursar contra ações de Douglas Gomes.

Ela pedia que o vereador, que é vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos, fosse retirado do cargo, alegando que o político já fez declarações transfóbicas e em defesa do Coronel Carlos Brilhante Ustra, torturador da ditadura militar.

A equipe de Benny disse que ela foi tratada pelo pronome masculino e agredida com falas transfóbicas e racistas.

“Douglas foi ao microfone chamar a vereadora de ‘vagabundo’, ‘moleque’, ‘seu merda’ e ‘mentiroso'”, afirmam os assessores de Benny, em nota. Nas redes sociais, ela lamentou o ocorrido e pediu ajuda: “Eu não posso andar só”.

“Hoje fui agredida com transfobia, racismo e quase fisicamente pelo vereador fascista Douglas Gomes, que segurado pelos meus companheiros de bancada para que não me encostasse. Foi horrível e doloroso! Chorei, senti medo, senti a dor de ser mulher negra e trans na política, mas não recuei. Companheiras me ajudem porque eu não posso andar só!”, disse, nas redes sociais.

Nas redes sociais, Douglas Gomes disse que a versão de Benny Briolly não é verdadeira e chamou a vereadora no pronome masculino. “Deixa de ser mentiroso. Até parece que as sessões não são filmadas. Vergonhoso, @BennyBriolly. Mentir é uma prática do PSol?”.

O vereador também disse que quem o chama de “fascista, racista e moleque” e pede respeito não será respeitado por ele. Douglas afirmou que a “turma arco-íris”, em referência aos parlamentares da comunidade LGBTI+, não o querem na Câmara.

Ele também criticou a deputada federal Talíria Petrone (PSol-RJ), que defendeu Benny nas redes sociais. “A maconha deve ter comido seus neurônios, @TalíriaPetrone”.

0
Mandatos na Assembleia Legislativa

Benny Briolly é a primeira vereadora transexual de Niterói (RJ). Eleita pelo PSol com 4.458 votos, foi a quinta mais votada da cidade. Antes de ser eleita, Benny era assessora parlamentar da ex-vereadora e atual deputada federal Talíria Petrone.

Também foi a primeira assessora parlamentar transexual da Câmara de Niterói.

Douglas Gomes foi eleito vereador de Niterói com 2.416 votos, em 2020. O político se define como “cristão, patriota e conservador”. Seguidor de Jair Bolsonaro (sem partido), Douglas já foi advertido por infringir o Regimento Interno da Casa e exibir uma arma de fogo dentro do prédio.

Últimas notícias