Filha de Fernanda Young, Estela May se despede: “Nunca doí tanto”

Aos 19 anos, ela escreveu um texto no Instagram em homenagem à mãe

Reprodução/InstagramReprodução/Instagram

atualizado 25/08/2019 22:08

Uma das filhas gêmeas de Fernanda Young, Estela May, publicou um texto de despedida no Instagram para se despedir da escritora, que morreu neste domingo (25/08/2019), aos 49 anos. A mensagem foi publicada pelo jornal Extra

“Mamãe, eu nunca doí tanto. mas sei que você voltou pras plêiades, a 444,2 anos-luz daqui, pra relatar os dados que você adquiriu da terra: são todos uns mesquinhos tontos que só fazem merda, mas às vezes amam e se divertem. Você amava e se divertia. Você deixa pra trás a obra mais perfeita que já vi, todos os textos, todas as brilhantes ideias de jerico que nem chegaram a ser realizadas (pode deixar que eu realizo) e os poemas. aqueles lindos poemas. ai de alguém apagá-los das paredes. tudo sobre você sempre me impressionou, é como se você fosse o protótipo da mãe legal: anárquica, generosa, engraçada, gentil, doida e ainda por cima não me julgou naquela fase que eu só dormia se tivesse um guarda-chuva aberto em cima de mim. Vai ser difícil sem você, mas vamos conseguir, prometo. e pode acreditar que tudo que eu fizer vai ter uma pitada sua, porque você é a minha maior inspiração. Você é eterna. Que orgulho de ser sua filha. Te amo e obrigada pelos mais lindos 19 anos”.

O corpo da escritora, roteirista e diretora foi velado no Cemitério de Congonhas, em São Paulo. Familiares e amigos se despediram, em momentos marcados por emoção.

Nesse sábado (24/08/2019), Fernanda Young deixou um post enigmático na mesma rede social: “Estou longe de encerrar essa jornada”, escreveu.

 

Ver essa foto no Instagram

 

As pessoas me acham maluca, mas estou observando tudo – de dentro e de fora. Pensam que não percebo as suas falcatruas, mas ser gentil não significa ser otaria! Trabalho feito uma vaca, pago essas merdas desses impostos, não vejo uso para eles, escuto que mamo em tetas do governo; divirto as pessoas, ofereço poesia, e lido com ignorâncias proferidas por um bando de escroto que mete Deus nos seus discursos hipócritas. Deito e levanto cansada porque nunca peguei um centavo de ninguém e tudo o que tenho é fruto de TRABALHO. Não herdei, não ganhei, nem sou sustentada! Tenho 4 filhos que estão aprendendo a serem éticos e livres. E o que ouço? É louca! O que vejo? A nossa cultura material e imaterial, a nossa língua, a nossa fauna, flora, sendo esganiçada, sacaneada, por ogros maléficos. Estamos virando uma gente porcaria, afinal “piorar é mais fácil”! E fica tão claro o oportunismo das ratazanas sorrateiras, que veem na “loucura do criador”, achando-nos dispersos, irresponsáveis, ricos, nesgas para sermos passados para trás! Comigo, não! Não! Sei reconhecer um lápis meu em meio a um milhão! Não estive “calada nos últimos 14 anos”, não aceito desaforo! Sou uma mulher de 50 anos que sonhou alto e realizou muito. E estou longe de encerrar a minha jornada nessa orbe! Aos que se interessam: bom proveito. Para os outros: estou pouco me lixando! ⚔️ (Texto escrito no ônibus. Ganho para escrever. Aqui ofereço de graça e com erros. “Flagra” de @e.mym que postou a foto com uma legenda muito mais sábia.) 🖤

Uma publicação compartilhada por Fernanda Young (@fernandayoung) em

Últimas notícias