De gravata a bule: veja os presentes que Bolsonaro trouxe de fora

Presidente recebeu pelo menos 54 presentes durante a viagem para Japão, China, Emirados Árabes e Arábia Saudita, em outubro

Valdenio Vieira/Presidência da RepúblicaValdenio Vieira/Presidência da República

atualizado 08/12/2019 10:55

Em sua passagem pela Ásia e Oriente Médio, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi presenteado com pelo menos 54 objetos oferecidos por chefes de Estado, integrantes do governo, empresários e cidadãos. 

São itens de uso pessoal, decorativos, álbuns de fotografias e livros. Uma lista do acervo atualizada até o dia 25 de novembro foi obtida por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI).

A viagem, realizada entre os dias 19 e 31 de outubro, levou a comitiva presidencial ao Japão, China, Emirados Árabes Unidos, Catar e Arábia Saudita. Cumprindo o protocolo diplomático, o Brasil também presenteou os países visitados com drusas naturais (pedras) e artesanatos em pedras preciosas brasileiras, além de camisas personalizadas da seleção. 

Ao presidente Jair Bolsonaro, o rei da Arábia Saudita, Salman bin Abdulaziz Al Saud, ofertou um relógio de pulso, um anel, um par de abotoadura, uma caneta esferográfica e uma Masbaha, espécie de rosário árabe.

Um bule foi o presente dado pelo presidente e pelo gerente-geral da China Minmetals Corporation, estatal chinesa de comércio de metais e minerais. A administração da Muralha da China entregou, como recordação da visita do mandatário do Brasil, um quadro fotográfico. 

Próximo a Bolsonaro, o presidente da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), Gilson Machado, ofereceu durante a viagem um óculos e uma touca de natação. 

Adidâncias militares da Marinha e do Exército presentearam o mandatário do Brasil com duas gravatas de seda, dois bottons, broche, canetas, marcador de livro, medalha, duas capas para passaporte e até uma cigarreira (o presidente não fuma). Populares deram camisas, quadro e relógio de pulso. 

Isac Nóbrega/Presidência da República
Presidente recebeu lembranças da administração da Muralha da China

Camisas de futebol
Do próprio presidente da China, Xi Jinping, Bolsonaro ganhou uma camisa oficial da seleção do país. O mesmo item foi entregue por um dos deputados federais que integrava a comitiva presidencial. 

O técnico do time Al-Faisaly, da Arábia Saudita, também deu de presente uma camisa do time. Outras duas, da Associação de Futebol dos Emirados Árabes Unidos e do Manchester City, foram oferecidas pelo hotel Emirates Palace.

Embora não esteja listada no catálogo de 54 itens, Bolsonaro também ganhou no Catar uma camisa da Associação de Futebol do Catar do emir Tamim bin Hamad Al Thani.

Acervo
Segundo a Presidência da República, os objetos recebidos em cerimônias oficiais de troca de presentes com chefes de Estado e de governo são considerados patrimônio da União. A gestão do acervo deve estar de acordo com a Lei nº 8.394/1991 e o Decreto nº 4.344/2002.

Os itens de uso pessoal, como roupas e acessórios, podem ser levados ao fim da gestão por integrarem o acervo privado do presidente. Presentes de cidadãos e empresas geralmente também recebem essa classificação.

Ao fim do mandato, cabe à Presidência da República fazer o envio dos itens, e o ex-mandatário fica responsável pela preservação.

Veja a lista de presentes recebidos na viagem: 

  • Pote em metal prateado polido e álbum fotográfico, do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe;
  • Pote confeccionado em material plástico e o livro Sukyo Mahikari, do presidente do conselho da Associação Japonesa de Organizações Religiosas e Sukyo Mahikari;
  • Touca de natação e óculos de natação, do presidente da Embratur, Gilson Machado;
  • Escultura, do Hospital Santa Cruz;
  • Camisa de futebol oficial 2018 da Seleção Chinesa de Futebol, de deputado federal;
  • Camisa de futebol oficial 2018 da Seleção Chinesa de Futebol, um pote decorativo, um CD-Rom e um álbum fotográfico, do presidente da China, Xi Jinping;
  • Quadro, da empresa China Communications Contruction;
  • Bule, da empresa China Minmetals Corporation;
  • Réplica do carro Haval SUV H6, da Haval, marca automotiva de propriedade da montadora chinesa Great Wall Motors;
  • Prato decorativo, da empresa China Railway Corporation;
  • Quadro e livro Connected to the Great Wall, da administração da Grande Muralha da China;
  • Toalha, duas camisas, relógio de pulso e quadro, de populares;
  • Gravata em seda, placa de lembrança, broche no formato do brasão da Marinha do Brasil, gravata em seda, marcador de livro, caneta, dois bottons iguais, medalha, cigarreira, duas capas para passaporte e os livros Beijing e The art of war, de adidâncias militares das Forças Armadas;
  • Camisa oficial personalizada do time de futebol Al-Faisaly da Arábia Saudita, do técnico do time;
  • Tapete, do xeque dos Emirados Árabes Unidos, Mohamed bin Zayed Al Nahyan;
  • Camisa oficial da Associação de Futebol dos Emirados Árabes Unidos e camisa oficial do Time de Futebol;
  • Manchester City, da administração do Hotel Emirates Palace;
  • Placa, do gerente-geral do Intercontinental Hotels Group;
  • Maquete, do secretário-geral do Alto Comitê do Legado da Copa do Mundo de Futebol de 2022;
  • Escultura em metal, do primeiro-ministro do Catar, Abdullah bin Nasser bin Khalifa Al Thani;
  • Escultura, do presidente e diretor administrativo do Lulu Group;
  • Escultura, do presidente da Federação de Câmara de Comércio dos Emirados Árabes Unidos;
  • Relógio de pulso, caneta esferográfica, par de abotoadura, anel, álbum de fotografias, do rei da Arábia Saudita, Salman bin Abdulaziz Al Saud;
  • Livro My story, do primeiro-ministro dos Emirados Árabes Unidos, Mohammed bin Rashid Al Maktoum;
  • Livros Spaces of light e Casas de Deus, do diretor-geral da Grande Mesquita Xeque Zayed.

Últimas notícias