Com agenda livre, Bolsonaro visita Muralha da China

O presidente brasileiro conheceu uma das sete maravilhas do mundo. Por medida de segurança, o trecho visitado foi fechado para o grupo

Isac Nóbrega/PRIsac Nóbrega/PR

atualizado 24/10/2019 15:04

Enviada especial a Pequim (China) – O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), aproveitou uma lacuna na agenda oficial para visitar um trecho da Muralha da China na tarde desta quinta-feira (24/10/2019).

A 80 quilômetros de Pequim, a parada de uma das sete maravilhas do mundo moderno escolhida pelo presidente foi a de Badaling. Bolsonaro chegou ao local por volta das 15h30 e foi embora às 16h10. Ele assinou o livro de honra e tirou fotos oficiais.

Veja imagens da visita à China:

O chefe do Executivo brasileiro estava acompanhado de parte da comitiva, com alguns deputados, senadores e ministros, como o das Relações Exteriores, Ernesto de Araujo; da Cidadania, Osmar Terra; de Minas e Energia, Bento Albuquerque; da Agricultura, Tereza Cristina; e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno.

O deputado Marco Feliciano (Pode-SP), que acompanha o presidente desde o Japão, fez vários registros da visita. O trecho em que estavam foi fechado pela polícia chinesa, como medida de segurança. A imprensa também foi proibida de acompanhar o passeio.

Bolsonaro, que chegou em Pequim no início da tarde, optou por preencher a agenda durante a tarde para evitar “dormir na hora errada” por conta do fuso horário. Ele chegou do Japão às 12h15, onde ficou entre os dias 21 e 24.

Últimas notícias