Não consigo parar de comer na quarentena. O que fazer?

O Metrópoles pediu conselhos a nutricionistas para te ajudar a manter a saúde durante os dias de isolamento social

Mulher comendo em casaMoyo Studio/GETTYIMAGES

atualizado 25/03/2020 18:36

O isolamento social causado pela Covid-19 tem alterado por completo a rotina da população. Conciliar trabalho, atividades domésticas e filhos é um desafio que tem abalado o lado emocional das pessoas, sobretudo as mais sensíveis. Com isso, a alimentação compulsiva se torna a principal “desculpa” para o indivíduo cumprir com todas as obrigações e, ainda assim, sentir um pouco de prazer.

Segundo a nutricionista Débora Copelli Lima, é normal a compulsão por comida em períodos de crise.

“É a chamada fome emocional. O sujeito acaba de comer, mas deseja continuar comendo, como forma de aconchego e segurança”, explica a profissional.

A nutricionista salienta, porém, que recorrer à comida para saciar esse misto de emoções não é a melhor saída. O ato gera, depois, sensação de culpa e impotência.

“A pessoa até pode se sentir bem no momento que consome algo, mas os sentimentos que levaram-na a fazer isso continuarão dentro dela”, salienta Débora.

Ao Metrópoles, a nutricionista Joana Lucyk dá algumas dicas de como controlar os desejos alimentares “além da conta” nessa quarentena e recomenda manter uma rotina saudável.

Confira!

Tchau, dietas

A especialista não aconselha dietas especificas durante esse tempo de isolamento social. “É necessário redobrar o cuidado com as quantidades, para manter o equilíbrio do organismo”, relata.

1. Crie uma rotina: se ocupar e estabelecer horários para as atividades te ajudará a controlar a compulsão alimentar. Organize-se!

2. Ouça seu corpo, se conecte com as suas emoções. Tente perceber a diferença entre a fome e a vontade de comer.

3. Inclua entre 600 ml a 1 l de chá na alimentação. Tome diariamente, por 3 x, sem adoçar.

4. Não espere sentir sede para beber água. Divida o consumo ao longo do dia, garantindo um pouquinho a cada hora.

5. Prefira refeições com carga glicêmica mais baixa. A presença de vegetais e proteínas é essencial.

6. Limite o consumo de cafeína. Em excesso, ela pode aumentar a ansiedade.

7. Comece o dia dando check na produção de serotonina com alimentos que garantam a produção do hormônio, como banana, cacau e oleaginosas.

8. Inclua alimentos verde-escuros no prato. Eles também são fontes de nutrientes para a produção de serotonina. Couve-manteiga, rúcula, brócolis e espinafre são bons exemplos.

 

 

Últimas notícias