Malho e faço dieta, mas não emagreço. Onde estou errando?

Especialistas respondem possíveis razões para você "empacar" na perda de peso, mesmo comendo bem e fazendo exercícios corretamente

atualizado 11/08/2020 12:57

Enisaksoy/GettyImages

A fórmula parece simples. Basta comer corretamente e fazer, pelo menos, trinta minutos de exercícios diários para ver aquela velha calça jeans, outrora apertada, caber como uma luva. No entanto, há quem, mesmo seguindo o conhecido “mantra” repetido por profissionais da área, não consiga perder peso como deseja. Alguns até diminuem os quilos que gostariam, mas “empacam” ao chegar próximo aos objetivos finais. O segredo pode estar em detalhes que passam despercebidos e são fundamentais ao pleno funcionamento do organismo.

A convite do Metrópoles, profissionais de diversas áreas explicam as possíveis razões para esse efeito platô, e como deixá-lo para trás sem prejudicar o bem-estar físico e mental.

Você malha muito

Isso mesmo. Fazer exercício em excesso e cobrar mais do que o corpo pode oferecer acaba tendo efeito contrário do que se espera. “Há mais de 50 mil anos, quando ainda éramos nômades e a comida se tornava escassa, nós tínhamos a necessidade de nos deslocar para encontrar um outro lugar farto. Nosso corpo precisava economizar energia para a jornada, entrando, assim, em um estado de alerta, no qual o metabolismo era desacelerado para se adaptar a situação atual”, explica a coach de emagrecimento Elaine Rodrigues.

Segundo ela, pesquisas mostram que nosso DNA não foi modificou em quase nada dessa época até o momento atual. “Quanto mais você restringe, menos seu corpo consome”, explica.

0

Você está fazendo só exercício aeróbico…

… E esse tipo de exercício não promove a queima de gordura em repouso. “Por isso, eu e muitos profissionais do emagrecimento indicamos o treino HIIT. Ele consegue elevar o gasto energético e de gordura por várias horas após sua conclusão, deixando um ambiente mais favorável ao emagrecimento”, orienta Elaine. Segundo ela, em 10 minutos já é possível queimar calorias e ter um resultado igual ou superior a treinos longos.

Você não come carboidratos

Uma eterna faca de dois gumes. “A ausência do carboidrato promove uma ‘necessidade’ de glicose e o organismo busca na sua memória os alimentos que te oferecem isso com mais rapidez, que são os açucarados e gordurosos”, salienta a coach fitness. “Isso pode estimular uma crise compulsiva ou, em menor escala, as beliscadinhas”, elucida Elaine.

Você sofre com retenção de líquido

Há quem ache que não está perdendo peso mas, na verdade, está apenas inchada. “A retenção de líquidos pode afetar, na balança, de um a três quilos, e acaba gerando a sensação de estar mais ‘cheinha’. A massagem vem como uma forte aliada”, garante a massoterapeuta Elizangela Freitas.

Você exagera no sal

Além de ser provocada por fatores que vão de genética a alterações hormonais, a mesma retenção de líquido que pode ser minimizada na massagem também é consequência de refeições com excesso de sódio. “Elas causam um volume maior no corpo, e a sensação de que a roupa está mais apertada. Recomendo, além dos tratamentos estéticos, associar à alimentação chás diuréticos, como de carqueja, hibisco e cavalinha”, frisa Elizangela Freitas. Água, vale destacar, é essencial.

Você pode estar dormindo pouco

“Se você dorme pouco, aumenta o hormônio responsável por te dar fome e diminui o hormônio da saciedade, além da redução do famoso GH, que te ajuda a queimar gordura dormindo”, salienta Elaine Rodrigues.

Você bebe mais do que devia

De acordo com o treinador físico australiano Sam Wood, o álcool é inimigo da perda de peso porque aumenta o armazenamento de gordura. “Seu corpo escolhe usar álcool como combustível, em vez de usar suas reservas de gordura. Se você está tentando perder peso ao redor da barriga sem se exercitar, você deve eliminar o álcool ou limitar-se a um ou dois copos por semana”, recomendou, em entrevista à revista Body Health Mag.

Você pode ter alguma doença e não sabe

É extremamente importante se submeter a check-ups ao menos uma vez por ano. Apenas médicos e profissionais especializados, como endocrinologistas e nutrólogos, são capazes de identificar questões que vão além de dieta e alimentação, como um déficit nutricional ou um problema de origem hormonal.

Você tem pressa

Segundo a nutricionista Flávia Mantovani, para que haja uma perda de peso efetiva é necessário que o seu corpo confie em você. Um mês, por exemplo, não é tempo suficiente para começar a ter resultados, embora o corpo demore cerca de três dias para começar a destoxificar, ou seja, eliminar toxinas. “O organismo, primeiro, precisa desinflamar. Emagrecer é um bônus e só vem ao final”, diz a profissional. “Há pessoas que emagrecem rapidamente, e outras que precisam de mais tempo. Não é que ela não vai ‘secar’, mas o processo é mais demorado”, complementa.

Você precisa usar mais o banheiro

Ao cuidarmos do intestino, também é possível ver melhoras. Para isso, se alimente com a maior variedade de frutas e legumes que puder. “Coma o arco-íris. Isso significa comer uma ampla variedade de cores para obter todos os nutrientes variados”, ensina Luke Hines, nutricionista australiano conhecido por trabalhar com Angelina Jolie.

Luke diz que certos vegetais fermentados, comuns na cultura coreana e tendência desde 2019, são ótimos para regular a flora intestinal. Kombucha, repleto de bactérias benéficas, ajuda igualmente.

Você pode estar estressado…

… E esse é seu pior inimigo! “O estresse te ataca de diversos lados. Ele é o responsável pelo acúmulo de gordura visceral, a pior de se queimar, e retenção hídrica. É de extrema importância que você aprenda a administrar os fatores que te estressam”, pontua Elaine. Muitas vezes, o que falta não são mais séries na academia, mas uma ida ao psicólogo.

Últimas notícias