Conheça 7 novas marcas de comida saudável e gostosa de Brasília

A onda de alimentação saudável não tem apenas mudado a alimentação das pessoas, mas servido de inspiração para empreendedores da cidade

atualizado 07/08/2017 12:19

Divulgação

Abaixo aos industrializados, conservantes e alimentos distribuídos às toneladas por grandes fabricantes! Os novos tempos pedem alimentação consciente e, com ela, uma lista bem menor de ingredientes. No lugar do açúcar, adoçantes naturais. O chocolate ao leite dá vez ao cacau 100%. Na comida saudável da nova geração, só o sabor permanece intacto.

Em Brasília, essa onda de “comida de verdade” despertou algo além da consciência alimentar em algumas pessoas. Ascendeu a veia empreendedora de gente que queria comprar aquele docinho sem culpa para matar a vontade depois do almoço.

Do forno de casa, passaram a distribuir para os familiares, amigos e — depois — amigos de amigos. São bolos, pães, pastas, granolas e doces feitos em casa, com ingredientes apanhados na horta de casa ou comprados do produtor pequeno, ali na feirinha orgânica.

Chegaram às prateleiras dos mercados naturais mais conhecidos da cidade. Ganharam a preferência de consumidores “naturebas” justamente porque oferecem o produto fresco, que dispensa o uso de qualquer conservante. Somado a isso, guardam histórias pessoais de superação, além do tempero artesanal.

Para abastecer a despensa com saúde ou a cabeça com ideias de negócios, conheça mais sobre essas e outras cinco marcas 100% brasilienses de comidas naturais e caseiras.

Manteighee
Após adotar uma dieta baixa em carboidratos, a jornalista Marcela Franco descobriu a paixão pela cozinha. Por isso, quando viu que a antiga carreira já não lhe fazia feliz, recorreu às panelas. De um curso para empreendedores no Sebrae nasceu, há menos de um mês, a marca Manteighee. Hoje, ela vende o produto por encomenda, mas um cardápio mais diversificado já está a caminho.

A ghee é velha conhecida de quem curte uma alimentação mais saudável e natural. No processo de fervura da manteiga de vaca, ficam para trás resíduos lácteos (ou boa parte deles), proteicos e conservantes. O que sobra é um óleo puro e saudável, seguro para ser usado em frituras ou em um belo pedaço de pão.

O produto é feito com manteiga de boa qualidade e fervida em fogo baixíssimo durante 10 horas até que o líquido amarelo na panela fique puro. As delícias são embaladas em vidros de 120g e vendidas a R$ 20 a tradicional, sem sal, ou a R$ 22 a versão com ervas finas (sal marinho, tomilho, sálvia e alecrim).

Os pedidos são feitos pelos WhatsApp (contato no Instagram da marca) e as entregas são às quintas-feiras. Em breve, novos tamanhos e sabores — os de curry e alho estão em fase de teste — devem ser acrescentados ao cardápio.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

As Delícias da Dry
Os tomates confitados de Adriana Nogueira têm feito sucesso em feiras e como acompanhamentos vistosos em pratos de gente gourmet do Instagram. São feitos com tomates cereja orgânicos escolhidos um a um pela empresária e, depois, cozidos em azeite e ervas também orgânicas por até três horas em fogo baixo, sem fervura. É a gordura do azeite que garante sabor e durabilidade: os vidrinhos de 200g duram até 30 dias na geladeira.

A receita faz parte do cardápio de fim de semana da família Nogueira, mas só virou negócio em dezembro de 2016. “Eu estava muito sem dinheiro e, todos os anos, um grupo de amigas se reúne no Natal para trocar presentes. Pensei ‘e agora, o que eu vou fazer?’”, conta. Resgatou os ingredientes, a forma de preparo e os potinhos viraram presente em dezembro.

Na semana seguinte, recebeu duas ligações perguntando quanto ela cobraria pelos tomates. Nascia ali um negócio, uma nova carreira e uma empresária. Hoje, além da venda direta por encomenda, Adriana expõe os produtos em uma loja de produtos naturais no Lago Norte e já planeja o lançamento do novo cardápio: pastinhas salgadas saudáveis para acompanhar refeições e cenouras confitadas.

As encomendas são feitas diretamente com Adriana por telefone, Instagram ou WhatsApp. Cada um custa R$ 17, fora a taxa de entrega. Quem quiser provar a delícia antes de fazer o pedido pode encontrar os tomatinhos em feiras da cidade — a próxima será no Brasília Shopping, no dia 12 de agosto — ou buscar um vidrinho na loja Empório Mais Natural, no Deck Norte.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

GO Nutz
Hoje há pastas de oleaginosas, farinhas de castanhas, doces taxados de “low carb”. Mas até pouco tempo atrás, quem seguia uma dieta baixa em carboidratos não tinha muito para onde correr quando o assunto era variedade de cardápio. Inspiradas no próprio desejo de “comer uma coisa diferente”, as sócias Amanda Lira e Orlane Klein decidiram lançar uma marca que oferecesse granolas e beliscos amigos de uma dieta natural e zero açúcar. Assim nasceu a GO Nutz. Os produtos já se espalharam por alguns pontos de venda na cidade.

A campeã de vendas da marca é a “granola” salgada, feita de amendoim, sementes e castanhas e temperada com especiarias. A recém-lançada pasta de coco comum ou queimado também tem feito sucesso. Os produtos estão em lojas naturais do Sudoeste, Lago Sul e Plano Piloto e ainda na Mercearia Colaborativa, na 412 Norte. Além disso, a marca inaugura em breve a sua loja virtual. As granolas saem, em média, R$ 25. A farinha de amêndoa, por exemplo, é vendida a R$ 22 o pacote de 200g.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

Benedita Low Carb
Difícil encontrar alguém que resista a um brigadeiro. Duro é lidar com as consequências na saúde da guloseima cheia de açúcar. Pois a Benedita Low Carb, da empresária Simone Ferraz, anda se dedicando a saciar a vontade de docinhos e pães para quem abriu mão do açúcar e das farinhas refinadas. A marca nasceu oficialmente em abril, mas já há algum tempo Simone andava fazendo a alegria dos amigos de trabalho com receitas baixas em carboidratos, sem açúcar e próprias para dietas com restrições como glúten e lactose.

Do cardápio da Benedita, o maior sucesso são os bombons de coco tipo prestígio, o brigadeiro “low carb” (R$ 16 a caixinha com quatro) e o pão de abóbora recheado com queijo canastra (R$ 38, em média 500g). Todos são à base de farinha de oleaginosas ou coco, leite de coco e óleo de coco. São adoçados com xilitol e não levam conservantes. ‘Os produtos podem ser encomendados pelo WhatsApp e recebidos em casa (com pedido mínimo de R$ 50) ou retirados no Setor Bancário Sul. Haverá venda e degustação no mercadinho do Brasília Shopping, no dia 12 de agosto.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

Nutty
A história da Nutty remete a um vício antigo de uma das proprietárias, Ana Luiza Azevedo. “Desde sempre”, ela diz, é consumidora assídua do amendoim em forma de pasta. Como as versões naturais são coisa recente nas prateleiras dos mercados, acabava cedendo às cremosas, com gordura vegetal e açúcar — a famosa “peanut butter” americana. Quando mudou a forma de se alimentar, começou a investigar uma forma de manter o alimento na dieta, mas de forma saudável. Assim, começou a fazer as próprias pastas de amendoim em casa, sem açúcar e conservantes.

Há 10 meses, criou sua marca própria em conjunto com a mãe, que vende não apenas a versão de amendoim puro, como outros seis sabores: amendoim crocante, amendoim com cacau, castanha de caju, castanha de caju com coco, castanha de caju com nibs de cacau e amêndoas. As pastas estão em seis pontos de venda — por causa da demanda (hoje elas enviam os produtos até para fora da capital), precisaram abrir mão da venda direta. Recentemente, mudaram a produção para uma cozinha maior. A preferida da clientela é a de castanha de caju com coco. Custam entre R$ 30 e R$ 45.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

O Fuê Artesanal
A história do Fuê da técnica de alimentos Daniele Arruda segue a linha de muitas empreitadas naturais da cidade: a empresária mudou o estilo de vida, adotou uma dieta low carb, mas não conseguia abrir mão das delícias das farinhas e do açúcar. Se desafiou, então, a adaptar todas as delícias da cozinha da mãe e da avó para receitas mais saudáveis. Nasciam, assim, quiches, pães e bolos de pote que fazem tanto sucesso nos pontos de venda — hoje são oito, contando com o estande na feirinha do Brasília Shopping, onde ela “bate ponto”.

Os produtos mais famosos são os pães low carb — uma fatia do de bacon, por exemplo, tem apenas 3,5g de carboidratos — e os deliciosos bolos de pote com cobertura nos sabores cacau, paçoca e prestígio. Os primeiros saem, em média, a R$ 30, e os bolos a R$ 19. Os pedaços de bolo de cenoura com calda de chocolate, de laranja com amêndoas e nega maluca também têm muitos fãs. Além dos produtos distribuídos em loja, Daniele aceita encomendas de bolos maiores e quiches. Os dias de entrega de encomendas, pontos de venda e dias de reposição são divulgados semanalmente no Instagram da marca.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

ConFITeria
Há pouco mais de dois meses que os frequentadores de lojinhas “fitness” começaram a se deparar com os brownies saudáveis e docinhos de pote da ConFITeria. Samandra Korilio, entretanto, “gestava” as suas guloseimas low carb há dois anos. Como é fã de doces, não queria abrir mão de se deliciar com um bolinho de chocolate todos os dias, e nem de uma alimentação saudável e equilibrada. Assim, nasceram primeiro os brownies da marca, feitos à base de abobrinha e baixos em carboidrato. “Como de manhã, à tarde e à noite. Ficam ótimos esquentados no microondas”, ensina. Cada um tem apenas 90 calorias.

Depois, nasceram as pastas de oleaginosas e os doces de leite e brigadeiro sem açúcar vendidos em potinhos. As receitas foram desenvolvidas pela própria empresária e hoje estão nas geladeiras de cinco pontos de venda da cidade. Como os ingredientes são naturais e, especialmente os brownies são baixos em calorias, Samandra diz que alguns nutricionistas já têm incluído os docinhos como opções de lanchinhos saudáveis e gostosos — inclusive para as crianças. Os brownies custam, em média R$ 14, e os doces, entre R$ 17 e R$ 20.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

 

Mais lidas
Últimas notícias