Mulheres solteiras vivem mais e são mais felizes, diz especialista

Cientista comportamental desconstrói estigmas sobre marcadores de sucesso na atualidade

atualizado 01/12/2020 19:34

Mulher felizAndrea Piacquadio/Pexels

Mulheres solteiras e sem filhos, ainda hoje, vivem cercadas de preconceito e carregam estigmas de uma sociedade patriarcal, que estabelece o casamento como sinônimo de sucesso e felicidade. Para acabar de vez com esses parâmetros ultrapassados, Paul Dolan, professor de ciências comportamentais da London School of Economics, na Inglaterra, afirmou que esse subgrupo, precisamente, compõe a parcela mais feliz da população.

Autor do livro Felizes Para Sempre, Dolan cita um estudo realizado nos Estados Unidos, a Pesquisa de Tempo de Uso Americano (ATUS), que comparou níveis de felicidade e tristeza em pessoas solteiras, casadas, divorciadas, separadas e viúvas.

De acordo com o especialista comportamental, mulheres solteiras não só são mais alegres como têm probabilidade de viver mais que suas amigas casadas e com filhos. As últimas evidências mostram que os marcadores usados para medir o sucesso antigamente não se correlacionam com felicidade – particularmente o casamento e a criação de herdeiros.

“Temos alguns dados longitudinais acompanhando as mesmas pessoas ao longo do tempo, mas vou prestar um enorme desserviço a essa ciência e apenas dizer: se você é homem, provavelmente deveria se casar; se você é mulher, não se preocupe”, disse o cientista em um festival recente realizado no Reino Unido.

0

No caso masculino, a estatística prova o contrário. Os homens se beneficiaram com o casamento porque “se acalmaram”, disse Dolan. “Você corre menos riscos, ganha mais dinheiro no trabalho e vive um pouco mais. A parceira, por outro lado, tem que aguentar isso e morre mais cedo do que se nunca tivesse se casado. O subgrupo mais saudável e feliz da população são as mulheres que nunca se casaram ou tiveram filhos”, completou.

Contudo, existem outras variáveis nessa equação. O especialista aponta que, apesar dos benefícios de um estilo de vida sem responsabilidades com marido e filhos, os preconceitos presentes na sociedade podem levar algumas mulheres solteiras a se sentirem infelizes.

“Você vê uma mulher solteira de 40 anos, que nunca teve filhos e pensa: ‘Deus, que pena, não é? Talvez um dia você encontre o cara certo e isso mude.’ Não, talvez ela encontre o cara errado e isso mude. Talvez ela encontre um cara que a torne menos feliz e saudável, e morra mais cedo”, encerrou o especialista.

Últimas notícias