Triste e exausta? Saiba como identificar se você sofre de burnout materno

O termo “Mommy Burnout” caracteriza o estresse crônico do cuidado com os filhos, que encontrou seu pico na pandemia de coronavírus

atualizado 15/01/2021 20:34

Mulher segura bebê de colo com expressão de cansaçoReprodução/Mil Dicas de Mãe

Ser mãe é padecer no paraíso, cravou o poeta Coelho Neto. Ultimamente, a missão, que já era árdua, se tornou ainda mais difícil. Desde que teve início a pandemia de coronavírus, os casos de estresse crônico entre mulheres aumentaram consideravelmente. As razões estão ligadas, sobretudo, à carga mental, e à difícil realidade de “equilibrar os pratinhos” entre cuidados com os filhos, com a casa e com a carreira.

Para esse cansaço extremo foi criado o termo “Mommy Burnout”, quando a tristeza, a exaustão e o estresse viram algo crônico.

No campo profissional, essa condição apareceu pela primeira vez na década de 1970. Agora, porém, ganha força no âmbito pessoal e materno.

“O foco na maternidade iniciou-se há 10 anos pela psicóloga belga Moïra Mikolajczak, que constatou que o nível de estresse era semelhante ao vivenciado pelo ambiente de trabalho, com potenciais repercussões psicológicas”, explica o psiquiatra Alisson Marques Teixeira.

“Com advento da pandemia, essas mães vivenciaram dias ainda mais difíceis, pois muitas vezes as atividades foram associadas ao trabalho remoto, home schooling, cuidados cotidianos… O isolamento reduziu ainda mais a rede de apoio que é tão importante nessa fase, pois não se podia ter contato com avós, tios e outras pessoas de suporte”, salienta.

Lavar roupas enquanto termina uma demanda do chefe. Dar banho e ficar de olho no almoço, enquanto aguarda o começo de uma reunião. Fazer o lanche entre um e-mail e outro. Levar no parquinho? Quase uma operação de guerra para manter a criança segura.

0

Em dias em que tudo parece fora de lugar, sobretudo com o aumento de casos de Covid-19 e incertezas como a falta de uma vacina e a volta para as escolas, mães se veem repletas de dor e dúvidas. Como identificar, então, o que é um cansaço normal do burnout?

Veja alguns sinais de alerta:

  • Exaustão física e emocional;
  • Tristeza, ansiedade ou apatia;
  • Taquicardia;
  • Esquecimento;
  • Brigas com o/a companheiro/a;
  • Falta de interesse combinada com uma irritação maior que o normal no que se refere aos filhos.

Para evitar que a situação chegue em pontos críticos, a primeira medida é fazer uma autoavaliação e entender a importância de ter ajuda – tanto dos familiares  quanto de um profissional.

“Reconhecer essas demandas, sobrecarga e distribuir as atividades são de extrema importância. É bastante relevante, também, tentar manter o autocuidado, como atividade física, uma visita ao salão de beleza e momentos (seguros) de socialização”, enumera o expert.

Ative sua rede de apoio e não se sinta fraca por precisar de suporte. E lembre-se: por mais difícil que seja essa fase, ela irá passar.

Últimas notícias