metropoles.com

Saiba tudo sobre as vacinas contra Covid-19 em teste no Brasil

Há quatro métodos de imunização sendo testados no país e dois deles realizam ensaios clínicos no Distrito Federal

atualizado

Compartilhar notícia

Francisco Willian Saldanha/Ascom Hub
Primeiro dia de testes da vacina covid-19 sendo aplicada na hub
1 de 1 Primeiro dia de testes da vacina covid-19 sendo aplicada na hub - Foto: Francisco Willian Saldanha/Ascom Hub

A pandemia provocada pelo novo coronavírus colocou o mundo diante de um desafio gigantesco: desenvolver uma vacina em tempo recorde para garantir que uma doença altamente contagiosa e, em muitos casos, fatal não paralise as atividades sociais e econômicas.

No Brasil, este desafio equivale a conseguir doses suficientes para cerca de 210 milhões de pessoas. Nessa quinta-feira (8/10), o Ministério da Saúde anunciou que garantiu cerca de 142 milhões de doses de vacinas e que espera concluir a vacinação dos grupos prioritários ainda no primeiro trimestre de 2021.

Atualmente, há quatro vacinas sendo testadas no país, sendo que duas delas têm ensaios aprovados para o Distrito Federal.

Desenvolvida na Inglaterra, a vacina de Oxford/AstraZeneca é considerada uma das mais promissoras do mundo e está sendo aplicada em 10 mil voluntários brasileiros.

Os ensaios clínicos da Oxford/AstraZeneca incluem voluntários de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte.

O acordo do Ministério da Saúde com a AstraZeneca prevê transferência de tecnologia para o Brasil, o que significa que, tão logo seja registrada, a vacina será fabricada pela Fundação Osvaldo Cruz.

A Coronavac, cujo desenvolvedor é o laboratório chinês Sinovac, também é considerada uma candidata promissora e realiza testes em seis unidades da federação, entre elas está o Distrito Federal. Ao todo, os ensaios clínicos da Coronavac no Brasil compreendem 13 mil pessoas.

0

No DF, inicialmente, estava prevista a aplicação do imunizante em cerca de 850 voluntários, mas este número será ampliado de acordo com o Hospital Universitário de Brasília (HUB), responsável por cuidar do estudo na capital do país.

A Anvisa deu autorização para a realização de outros dois ensaios clínicos: o da vacina da Janssen – braço farmacêutico da Johnson e Johnson – e o da Pfizer. Os dois laboratórios não têm acordos de compra fechados com o país, mas o fato de estarem realizando testes aqui pode facilitar a etapa de registro das imunizações.

A vacina Pfizer será testada em 2 mil voluntários em São Paulo e na Bahia e a da J&J, em 7,5 mil pessoas. O DF está entre as praças onde haverá testes da vacina J&J. A expectativa é que a aplicação da imunização comece na semana que vem, em um grupo de adultos jovens e saudáveis.

Além destas quatro vacinas, há outras duas candidatas cujos laboratórios anunciaram que desejam fazer testes no Brasil: são a Sputinik V, da Rússia, e a vacina Sinopharm, da China.

Os responsáveis, no entanto, ainda não encaminharam os protocolos de pesquisa para a apreciação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comSaúde

Você quer ficar por dentro das notícias de saúde mais importantes e receber notificações em tempo real?