Governo federal não ajudou em importação de insumos para vacina, diz Doria

Jair Bolsonaro tuitou nesta manhã sobre Coronavac, dando a entender que ministros do governo federal é que teriam negociado com a China

atualizado 05/02/2021 19:34

SP recebe insumos para produzir coronavacFábio Vieira/Especial Metrópoles

São Paulo – O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta segunda (25/1) que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o governo federal não teriam tido participação na recente liberação de insumos vindos da China para a fabricação da vacina Coronavac pelo Instituto Butantan.

“Não é verdade o que disse o presidente Bolsonaro em redes sociais, de que a importação de insumos da China foi uma realização do governo federal”, disse o governador João Doria em nota. Ele também se manifestou nas redes sociais.

Segundo Doria, a negociação com o governo chinês para liberar 5.400 litros de insumo para a fabricação da Coronavac foi realizada apenas pelo Instituto Butantan e pelo governo paulista, “que vem negociando com os chineses a importação de vacinas e insumos desde maio do ano passado”.

0

O governador paulista ainda lembrou em nota oficial que “em mais de uma ocasião, [Jair Bolsonaro disse] que não iria adquirir a vacina por causa de sua origem chinesa. Neste período, um total de 4 lotes de vacinas e insumos foram recebidos pelo governo de SP sem nenhuma participação do governo Bolsonaro”.

A declaração de João Doria vem em reposta a um tuíte de Jair Bolsonaro no qual o presidente declarou “que os insumos já estariam chegando”. Além disso, o presidente fez um agradecimento aos ministros Ernesto Araújo, do Itamaraty, Eduardo Pazuello (Saúde) e Tereza Cristina (Agricultura), dando a entender que o Executivo federal foi que negociou com o governo chinês.

Local dos insumos

Segundo o Instituto Butantan, os insumos não estariam “em vias de envio”, como disse o presidente. “Eles não estão no aeroporto conforme foi equivocadamente publicado pelo presidente da República, mas sim nas instalações da Sinovac, em Pequim”, disse o instituto.

O governador João Doria terá reunião virtual na terça-feira (26/1), às 10h30, com o embaixador chinês, Yang Wanming. Logo após, dará entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, na qual será detalhada a logística de importação dos insumos da vacina do Butantã, ainda nesta semana, para o Brasil.

Últimas notícias